• OFICINA – “Inteligências do Coração” – Brasília

    OFICINA – “Inteligências do Coração” Brasília – 19 e 20 de agosto de 2017 As práticas de treinamento da mente baseadas na quietude e no silêncio de corpo, fala e mente são fundamentais – elas tranquilizam a nossa mente e nos ajudam a reduzir a responsividade frente aos variados estímulos. Mas que outras qualidades poderíamos cultivar ativamente para pacificarmos e melhorarmos todas as nossas relações – com nós mesmos, com o outro e com o ambiente? Que inteligências podemos acessar e colocar a serviço de um bem-estar mais profundo, da felicidade genuína, nossa e dos outros? A partir deste ano, o Curso Completo do Programa Cultivating Emotional Balance será oferecido em quatro Oficinas: “As…

  • OFICINA – “Inteligências do Coração” – São Paulo

    OFICINA – “Inteligências do Coração” SÃO PAULO – 3 e 4 de junho de 2017 As práticas de treinamento da mente baseadas na quietude e no silêncio de corpo, fala e mente são fundamentais – elas tranquilizam a nossa mente e nos ajudam a reduzir a responsividade frente aos variados estímulos. Mas que outras qualidades poderíamos cultivar ativamente para pacificarmos e melhorarmos todas as nossas relações – com nós mesmos, com o outro e com o ambiente? Que inteligências podemos acessar e colocar a serviço de um bem-estar mais profundo, da felicidade genuína, nossa e dos outros? A partir deste ano, o Curso Completo do Programa Cultivating Emotional Balance será oferecido em quatro Oficinas: “As Inteligências…

  • OFICINA – “As Inteligências do Coração” – Salvador

    OFICINA – “Inteligências do Coração” SALVADOR – 10 e 11 de junho de 2017 As práticas de treinamento da mente baseadas na quietude e no silêncio de corpo, fala e mente são fundamentais – elas tranquilizam a nossa mente e nos ajudam a reduzir a responsividade frente aos variados estímulos. Mas que outras qualidades poderíamos cultivar ativamente para pacificarmos e melhorarmos todas as nossas relações – com nós mesmos, com o outro e com o ambiente? Que inteligências podemos acessar e colocar a serviço de um bem-estar mais profundo, da felicidade genuína, nossa e dos outros? A partir deste ano, o Curso Completo do Programa Cultivating Emotional Balance será oferecido em quatro Oficinas: “As Inteligências do…

  • OFICINA – “Cultivando a Presença” – Brasília

    OFICINA – “CULTIVANDO A PRESENÇA” BRASÍLIA – 24 e 25 de junho de 2017 O monge beneditino Lawrence Freeman dizia que o melhor presente que podemos oferecer ao outro é a nossa presença. Você já refletiu sobre isso? Já sentiu dificuldade em oferecer toda a sua atenção a alguém querido, sem se perder em suas próprias histórias? Não é cansativo estar o tempo todo resolvendo problemas que talvez nunca aconteçam? Além de perdermos a conexão com o outro, desperdiçamos a chance de sentirmos a textura da nossa vida. Abandonar esse hábito de tentar chegar em algum lugar diferente de onde estamos  – cultivar a presença – nos ajuda a estabelecer uma nova base para…

  • OFICINA – “As Emoções e o Mundo Interno” – São Paulo

    OFICINA – “As Emoções e o Mundo Interno” SÃO PAULO – 25 e 26 de março de 2017 “As emoções são processos complexos que são disparados quando algo que julgamos ser importante para o nosso bem estar está acontecendo.” É dessa forma que o Dr Paul Ekman lindamente absolve as emoções. Em vez de serem algo ameaçador, que precisa ser contido e eliminado, ou algo sedutor, que precisa ser seguido e sustentado, passam a ser preciosos aliados. Elas nos apontam fragilidades, pontos cegos, possibilidades, riquezas… apontam o caminho. Nesta Oficina exploraremos um pouco do trabalho de uma vida inteira do Dr Paul Ekman que nos ajuda nessa tarefa de cultivar o equilíbrio emocional, de conhecer…

  • Realizada | Oficina – “As Emoções e o Mundo Interno” – Brasília

    OFICINA – “As Emoções e o Mundo Interno” Brasília – 11 e 12 de março de 2017 VAGAS ESGOTADAS “As emoções são processos complexos que são disparados quando algo que julgamos ser importante para o nosso bem estar está acontecendo.” É dessa forma que o Dr Paul Ekman lindamente absolve as emoções. Em vez de serem algo ameaçador, que precisa ser contido e eliminado, ou algo sedutor, que precisa ser seguido e sustentado, passam a ser preciosos aliados. Elas nos apontam fragilidades, pontos cegos, possibilidades, riquezas… apontam o caminho. Nesta Oficina exploraremos um pouco do trabalho de uma vida inteira do Dr Paul Ekman que nos ajuda nessa tarefa de cultivar o equilíbrio emocional, de…

  • Realizada – Oficina – “As Emoções e o Mundo Interno” – Ilha Bela

    OFICINA – “As Emoções e o Mundo Interno” ILHA BELA – 4 e 5 de março de 2017 “As emoções são processos complexos que são disparados quando algo que julgamos ser importante para o nosso bem estar está acontecendo.” É dessa forma que o Dr Paul Ekman lindamente absolve as emoções. Em vez de serem algo ameaçador, que precisa ser contido e eliminado, ou algo sedutor, que precisa ser seguido e sustentado, passam a ser preciosos aliados. Elas nos apontam fragilidades, pontos cegos, possibilidades, riquezas… apontam o caminho. Nesta Oficina exploraremos um pouco do trabalho de uma vida inteira do Dr Paul Ekman que nos ajuda nessa tarefa de cultivar o equilíbrio emocional, de conhecer…

  • Realizado – Conversas sobre Envelhecer – Dra. Ana Claudia Quintana Arantes e Convidados

    Nosso Brasil envelhece na velocidade mais assustadora do planeta. Em 2050, um em cada cinco brasileiros vai ter mais de 60 anos. E o nosso maior problema é que nossa cultura não ensina como vamos lidar com a nossa realidade quando chegar a nossa hora de fazer parte desta estatística ou quando alguém que amamos muito precisar de um olhar diferente para o tempo de envelhecer. Então…Diante da certeza de que vai envelhecer, como você se sente? A maioria das pessoas parece não lidar bem com a ideia, uma realidade da qual é impossível escapar e que se faz presente a cada dia que passa. Como não há um remédio milagroso, o…

  • Realizada – Oficina – “Cultivando a Presença” – São Paulo

    OFICINA – “CULTIVANDO A PRESENÇA” SÃO PAULO – 28 e 29 de Janeiro de 2017 O monge beneditino Lawrence Freeman dizia que o melhor presente que podemos oferecer ao outro é a nossa presença. Você já refletiu sobre isso? Já sentiu dificuldade em oferecer toda a sua atenção a alguém querido, sem se perder em suas próprias histórias? Não é cansativo estar o tempo todo resolvendo problemas que talvez nunca aconteçam? Além de perdermos a conexão com o outro, desperdiçamos a chance de sentirmos a textura da nossa vida. Abandonar esse hábito de tentar chegar em algum lugar diferente de onde estamos  – cultivar a presença – nos ajuda a estabelecer uma…

  • Realizada – Oficina – “As Emoções e o Mundo Interno” – Londrina

      OFICINA – “As Emoções e o Mundo Interno” LONDRINA – 11 e 12 de fevereiro de 2017 “As emoções são processos complexos que são disparados quando algo que julgamos ser importante para o nosso bem estar está acontecendo.” É dessa forma que o Dr Paul Ekman lindamente absolve as emoções. Em vez de serem algo ameaçador, que precisa ser contido e eliminado, ou algo sedutor, que precisa ser seguido e sustentado, passam a ser preciosos aliados. Elas nos apontam fragilidades, pontos cegos, possibilidades, riquezas… apontam o caminho. Nesta Oficina exploraremos um pouco do trabalho de uma vida inteira do Dr Paul Ekman que nos ajuda nessa tarefa de cultivar o equilíbrio emocional, de…

  • Meditação Guiada – Body-Scan

    A prática de escaneamento do corpo era bastante ensinada por Goenka, um grande professor de meditação, de quem o Professor Alan Wallace recebeu instruções diretas. Esta meditação guiada é um pouco mais simples do que a prática tradicional e pode ser considerada uma preparação para práticas de vipashyana, especialmente de atenção plena ao corpo ou aos sentimentos. Explicações técnicas a parte, a prática é deliciosa. Algumas pessoas dizem que se concentram mais do que com práticas de shamatha, outras dizem que relaxam bastante e outras que simplesmente adoram. Eu pertenço a esse último grupo. Espero que você também goste. https://soundcloud.com/jeanne-pilli/meditacao-guiada-body-scan  

  • Meditação Guiada – Cultivando o Relaxamento

    Quando começamos a praticar meditação, logo percebemos que estabilizar a mente não é uma tarefa fácil. A instrução básica é simples – mantenha o foco da sua atenção na respiração. Simples… mas bem difícil. Intuitivamente achamos que precisamos nos esforçar mais. E aí tudo piora! Minha prática pessoal se transformou com uma das orientações que o Professor Alan Wallace mais enfatiza: relaxe! A base das práticas de meditação é o relaxamento, profundo, consciente, atento. Veja neste vídeo, o Professor Alan Wallace descrevendo essa descoberta, em um encontro que deve ter sido sensacional com ninguém menos que BKS Iyengar, um grande mestre da yoga. O mais incrível é que relaxar requer…

  • Meditação Guiada – Cultivando a Estabilidade

    O Prof Alan Wallace disse recentemente que “vivemos em uma era de deficit de atenção”. Talvez essa seja a raiz de todos os dramas dos relacionamentos. Temos uma imensa dificuldade de oferecer o maior presente que podemos dar ao outro: a nossa atenção. Veja estes vídeos curtinhos de entrevistas do Prof Alan Wallace, de Matthieu Ricard e de Jetsunma Tenzin Palmo às australianas que organizam o movimento “One Moment Please“. (acione a legenda em português no ícone quadradinho do lado direito inferior da tela – segundo ícone da esquerda para a direita) Podemos cultivar a atenção durante todo o dia. Podemos até iniciar elegendo tarefas como tomar banho, lavar a louça, almoçar ou qualquer outra…

  • Meditação Guiada – Estabelecendo a Mente em seu Estado Natural

    As práticas de atenção plena à respiração são essenciais para desenvolvermos o relaxamento e a estabilidade da atenção, sem perdermos a clareza da mente. Podemos então utilizar essa atenção mais refinada para observarmos essa ilustre e desconhecida companheira de todos os momentos – a nossa própria mente. O Prof Alan Wallace compara a prática de shamatha à construção de um telescópio de alta resolução, como o telescópio Hubble, que nos permitirá investigar esse espaço inexplorado que é a nossa própria mente. A mente é o domínio de experiências não ligadas aos cinco sentidos físicos – visão, audição, tato, olfato e paladar – onde surgem os pensamentos, memórias, imagens, desejos, emoções e…

  • Meditação da Bondade Amorosa – Prática Conduzida

    A busca pela felicidade genuína contrasta fortemente com nossa atração por prazeres fugazes. Não há nada de errado em saborear os prazeres da vida: os prazeres que experimentamos por estarmos com amigos queridos e com quem amaram, por desfrutarmos de uma refeição deliciosa ou de um clima maravilhoso são despertados por estímulos provenientes dos cinco sentidos físicos. Podemos também experimentar prazeres que não requerem estímulos sensoriais, como por exemplo, quando temos uma lembrança agradável. Mas quando o estímulo é retirado, o prazer desaparece. A felicidade genuína, por outro lado, não é acionada por estímulos. Aristóteles chamou essa felicidade eudaimonia, e comparou com a bondade humana, com a mente trabalhando de acordo…

  • Oficina “Equilíbrio Afetivo” – São Paulo

    Como cultivar as Inteligências do Coração As práticas de treinamento da mente baseadas na quietude e no silêncio de corpo, fala e mente são fundamentais – elas tranquilizam a nossa mente e nos ajudam a reduzir a responsividade frente aos variados estímulos. Mas que outras qualidades poderíamos cultivar ativamente para pacificarmos e melhorarmos todas as nossas relações – com nós mesmos, com o outro e com o ambiente? Que inteligências podemos acessar e colocar a serviço de um bem-estar mais profundo, da felicidade genuína, nossa e dos outros? Esta Oficina se baseia no Programa “Cultivating Emotional Balance“ Quando? Sábado 23/julho – das 9h00 às 17h00 Domingo 24/julho – das 9h00…

  • Curso Completo – São Paulo

    Curso Completo Cultivating Emotional Balance INSCRIÇÕES ENCERRADAS SUKHA – Esta palavra precisa entrar no nosso vocabulário. É uma palavra sânscrita que significa “felicidade genuína”, ou como o Professor Alan Wallace prefere – “florescer humano”. O objetivo deste programa – Cultivating emotional Balance (CEB) – ou “Cultivando o Equilíbrio Emocional” é nos oferecer ferramentas para que possamos florescer, para que possamos cultivar a felicidade genuína – essa que brota do que oferecemos ao mundo, daquilo que cultivamos e que conseguimos trazer para compor a nossa experiência. O CEB foi elaborado por Paul Ekman e Alan Wallace atendendo a um pedido do Dalai Lama – como ajudar as pessoas a lidarem com emoções tão…

  • Palestra e Oficina Cultivating Emotional Balance – Recife

    PALESTRA E OFICINA CULTIVATING EMOTIONAL BALANCE Recife, 20 a 22 de maio de 2016 O Programa Cultivating Emotional Balance, desenvolvido pelo Prof Alan Wallace e pelo psicólogo Paul Ekman, combina de de forma precisa elementos das tradições contemplativas e da psicologia moderna, oferecendo técnicas e ferramentas para cultivarmos um bem-estar profundo, que chamamos de felicidade genuína. O CEB se estrutura em torno de quatro inteligências que resultam em quatro equilíbrios: Equilíbrio Conativo – refere-se discriminar intenções e desejos e alinhá-los ao cultivo do bem-estar de si mesmo e dos outros. Será que estamos utilizando o nosso tempo no que de fato nos conduz ao bem-estar? Nós temos clareza sobre o que, no longo prazo,…

  • O bem-estar é uma habilidade que pode ser treinada

    Na tarde de ontem, quem teve a sorte de estar em casa ou ao menos de ter a possibilidade de passar 1h30 conectado à internet, pôde desfrutar do painel “The World We Make – Well Being in 2030”, encontro realizado pelo Mind and Life Institute, que ao menos anualmente aproxima cientistas de Sua Santidade o Dalai Lama. O encontro foi transmitido ao vivo, diretamente da Universidade de Wisconsin, no dia 9/março/2016 mas, até o momento em que estou escrevendo este post, infelizmente a gravação do evento não está disponível. O que eu gostaria de registrar aqui foi a participação de Richard Davidson – neurocientista brilhante, apontado como um dos homens mais influentes do mundo…

  • Conversa sobre Meditação e Equilíbrio Emocional

    Incrível como a tecnologia é capaz de fato de aproximar as pessoas! E não tenho como agradecer os amigos lindos que eu tenho, muito especialmente o Gustavo Gitti, e que têm a habilidade de criar uma verdadeira rede para as pessoas apoiarem umas as outras no caminho. Na última terça-feira, 1 de março, participei de um desses eventos organizados pelO Lugar, e em 1h30, pudemos abordar os principais fundamentos do Programa Cultivando o Equilíbrio Emocional, com a possibilidade até de tentar responder perguntas muito ricas que as pessoas enviavam pelo chat. Se tiverem um tempinho, ficou tudo gravado. Um grande beijo

  • Oficina “Como cultivar o Equilíbrio Emocional” – BH

    OFICINA CULTIVATING EMOTIONAL BALANCE Belo Horizonte – 1 a 3/abril/2016 O Programa Cultivating Emotional Balance (CEB), desenvolvido pelo professor Alan Wallace e pelo psicólogo Paul Ekman, combina de forma precisa elementos das tradições contemplativas e da psicologia moderna, oferecendo técnicas e ferramentas para cultivarmos um bem-estar profundo, que chamamos de felicidade genuína. O CEB se estrutura em torno de quatro inteligências que resultam em quatro equilíbrios: Equilíbrio Conativo – refere-se discriminar intenções e desejos e alinhá-los ao cultivo do bem-estar de si mesmo e dos outros. Será que estamos utilizando o nosso tempo no que de fato nos conduz ao bem-estar? Nós temos clareza sobre o que, no longo prazo, nos trará…

  • Curso Completo – Porto Alegre

    Curso Completo Cultivating Emotional Balance Fizemos a formação em 2013, com o Professor Alan Wallace e com Eve Ekman, e ficamos todos apaixonados. A começar pelo objetivo do CEB, que é nada mais nada menos do que cultivar a “felicidade genuína”. O programa combina de uma forma muito elegante as várias técnicas contemplativas tradicionais e elementos da psicologia moderna, lançando luz sobre diversos aspectos da nossa saúde emocional. O que chamamos aqui de felicidade genuína seria um bem-estar profundo, bem menos condicionado e dependente de circunstâncias externas. Quem neste nosso mundo moderno não se beneficiaria disso? O curso é apresentado em diversos formatos com duração total de 42 horas para podermos…

  • Oficina “Autocompaixão” – São José dos Campos

    “Ao responder à nossa dor com gentileza, afeto e conexão, ao nos acalmarmos e nos confortarmos quando estamos diante da imperfeição de nossas vidas e de nós mesmos, criamos emoções positivas que não estavam conosco antes. Ao invés de simplesmente nos sentirmos inadequados, passamos a nos sentir também conectados por lembrarmos dessa condição humana que compartilhamos. Ao invés de simplesmente sentirmos tristeza, sentimos também a ternura presente na atenção a uma ferida que precisa ser curada. Ao invés de simplesmente sentirmos medo, sentimos também o conforto do nosso carinho e gentileza. Ao nos tratarmos com compaixão, abraçamos nossas emoções negativas em um espaço cheio de bons sentimentos. Isso significa que…

  • A cegueira de todos nós

    Imagine que você está caminhando por uma calçada com os braços cheios de mantimentos e alguém tromba com você. Você cai e seus mantimentos se espalham pelo chão. Levantando-se da poça de ovos quebrados e suco de tomate, você está prestes a gritar, “Seu idiota! O que há de errado com você? Você é cego?” Mas antes mesmo de conseguir recuperar o fôlego para falar, você vê que a pessoa que trombou com você é realmente cega. Ela também está esparramada por sobre os mantimentos. A sua raiva desaparece em um instante, e é substituída por uma preocupação: “Você está ferido? Posso ajudá-lo? ” Nossa situação é exatamente essa. Quando…

  • Autocompaixão e Equilíbrio Emocional

    “Ao responder à nossa dor com gentileza, afeto e conexão, ao nos acalmarmos e nos confortarmos quando estamos diante da imperfeição de nossas vidas e de nós mesmos, criamos emoções positivas que não estavam conosco antes. Ao invés de simplesmente nos sentirmos inadequados, passamos a nos sentir também conectados por lembrarmos dessa condição humana que compartilhamos. Ao invés de simplesmente sentirmos tristeza, sentimos também a ternura presente na atenção a uma ferida que precisa ser curada. Ao invés de simplesmente sentirmos medo, sentimos também o conforto do nosso carinho e gentileza. Ao nos tratarmos com compaixão, abraçamos nossas emoções negativas em um espaço cheio de bons sentimentos.Isso significa que em…

  • “Cultivating Emotional Balance” no SP+Zen

    A primeira edição do SP+Zen acontece no dia 29 de agosto, das 10h às 13h, no Museu de Arte Moderna (MAM), e convida o público em geral para conhecer 15 histórias inspiradoras sobre a experiência de pessoas que aprenderam a transformar a maneira de se relacionar com a cidade. A espiritualidade real e simples; como encontrar equilíbrio e qualidade de vida nas relações e interações no ambiente urbano são algumas das questões abordadas durante o evento, que contará com participação especial da Monja Coen, Marcia de Luca, Mirna Grzich, Robert Wong, Luc Bouveret, e Sri Prem Baba (em video) dentre outros palestrantes. O SP+Zen é promovido pela Virada Zen e…

  • Ingleses estudarão o impacto da meditação na vida de 7.000 adolescentes

    Pesquisadores ingleses realizarão um estudo com 7.000 adolescentes que durará 7 anos para avaliar o impacto da meditação da atenção plena na saúde emocional desses jovens. Willem Kuyken, professor de psicologia clínica na Universidade de Oxford que está conduzindo o estudo, disse que a propagação da prática de meditação da atenção plena entre as crianças poderia fazer pela saúde mental da população britânica o mesmo que o flúor na água fez por seus dentes. Ele disse que escolheram os adolescentes como foco do estudo devido a evidências de que metade de todos os transtornos mentais começam antes dos 15 anos. O estudo pretende avaliar de a meditação é capaz de aumentar a resiliência a…

  • Inteligência emocional: o que nós realmente deveríamos ensinar nas escolas

    As escolas existem para para exercitarmos nossas aptidões acadêmicas, mas quando se trata de emoções, temos que nos virar sozinhos. Conflitos internos muitas vezes atrapalham o desempenho escolar de muitos alunos. Então por que nós não os ajudamos a desenvolver a inteligência emocional junto com a acadêmica? Será que os dois não são igualmente importantes? Tenho certeza de que eu teria me beneficiado de uma aula que ensinasse os muitos fatores que afetam a nossa felicidade, ou contribuem para a nossa motivação (ou falta de), ou de técnicas que nos ajudassem a nos concentrarmos em sala de aula. Isso melhoraria o desempenho geral dos alunos em todas as disciplinas, porque nossas emoções governam a nossa capacidade de aprender. Os…

  • Curso Completo – Recife

    CURSO COMPLETO CULTIVATING EMOTIONAL BALANCE Ministrado por Jeanne Pilli (SP), o curso do Programa Cultivating Emotional Balance envolve uma imersão nos chamados quatro quatro equilíbrios (conativo, da atenção, cognitivo e emocional) e foi desenvolvido pelo Phd. Alan Wallace e pelo psicológo Paul Ekman a pedido de S.S.Dalai Lama no sentido de produzir uma transformação direta na vida das pessoas a partir da inspiração budista. No entanto, esse treinamento possui uma abordagem totalmente leiga e não-religiosa, possibilitando que qualquer pessoa possa criar e perceber as suas próprias ferramentas para uma vida equilibrada. O Programa Cultivating Emotional Balance completo será apresentado em 3 finais de semana, com 42 horas de curso. Iremos…

  • Oficina – Brasília

    OFICINA CULTIVATING EMOTIONAL BALANCE Brasília, 15 e 16 de agosto de 2015 O Programa Cultivating Emotional Balance (CEB), desenvolvido pelo professor Alan Wallace e pelo psicólogo Paul Ekman, combina de forma precisa elementos das tradições contemplativas e da psicologia moderna, oferecendo técnicas e ferramentas para cultivarmos um bem-estar profundo, que chamamos de felicidade genuína. O CEB se estrutura em torno de quatro inteligências que resultam em quatro equilíbrios: Equilíbrio Conativo – refere-se discriminar intenções e desejos e alinhá-los ao cultivo do bem-estar de si mesmo e dos outros. Será que estamos utilizando o nosso tempo no que de fato nos conduz ao bem-estar? Nós temos clareza sobre o que, no longo prazo, nos trará…

  • A ciência por trás de “DivertidaMente” – por Paul Ekman

    Cinco anos atrás, o escritor e diretor Pete Docter da Pixar chegou até nós para falar sobre uma idéia: um filme que iria retratar como as emoções funcionam dentro da cabeça de uma pessoa e, ao mesmo tempo, como moldam sua vida no relacionamento com outras pessoas. Ele queria mostrar como tudo isso opera na mente de uma menina de 11 anos de idade, atravessando tempos difíceis em sua vida. Como cientistas que estudaram emoção durante décadas, recebemos a notícia com um enorme prazer. Acabamos trabalhando como consultores científicos para o filme “DivertidaMente” (“Inside Out”), lançado recentemente. Nossas conversas com Docter e sua equipe foram quase sempre sobre a ciência…

  • Curso Completo – Marília – SP

    Curso Completo Cultivating Emotional Balance “O programa Cultivating Emotional Balance (CEB), foi desenvolvido por Paul Ekman – psicólogo que por décadas dedicou-se ao estudo das emoções – e Alan Wallace – físico e estudioso das tradições meditativas – como resultado de um encontro do Mind and Life Institute em março de 2000. A intenção principal do Programa CEB é oferecer recursos para que o participante aprenda a cultivar níveis maiores de bem-estar emocional. Neste contexto, “bem-estar emocional” equivale ao que os gregos chamaram de eudaimonia, uma felicidade mais genuína e independente da sustentação e do controle de estímulos externos. Este bem-estar emocional é abordado como sendo resultado da interação de…

  • Oficina – São Paulo

    OFICINA CULTIVATING EMOTIONAL BALANCE São Paulo, 1 e 2 de agosto de 2015 O Programa Cultivating Emotional Balance, desenvolvido pelo Prof Alan Wallace e pelo psicólogo Paul Ekman, combina de de forma precisa elementos das tradições contemplativas e da psicologia moderna, oferecendo técnicas e ferramentas para cultivarmos um bem-estar profundo, que chamamos de felicidade genuína. O CEB se estrutura em torno de quatro inteligências que resultam em quatro equilíbrios: Equilíbrio Conativo – refere-se discriminar intenções e desejos e alinhá-los ao cultivo do bem-estar de si mesmo e dos outros. Será que estamos utilizando o nosso tempo no que de fato nos conduz ao bem-estar? Nós temos clareza sobre o que, no longo prazo, nos…

  • Curso Completo – São Paulo

    Curso Completo Cultivating Emotional Balance Fiz a formação em 2013, com o Professor Alan Wallace e com Eve Ekman, e fiquei apaixonada. A começar pelo objetivo do CEB, que é nada mais nada menos do que cultivar a “felicidade genuína”. O programa combina de uma forma muito elegante as várias técnicas contemplativas tradicionais e elementos da psicologia moderna, lançando luz sobre diversos aspectos da nossa saúde emocional. O que chamamos aqui de felicidade genuína seria um bem-estar profundo, bem menos condicionado e dependente de circunstâncias externas. Quem neste nosso mundo moderno não se beneficiaria disso? O curso é apresentado em diversos formatos com duração total de 42 horas para podermos…

  • Os benefícios da meditação compassiva

    O Centro de Stanford para Pesquisa e Educação sobre Compaixão e Altruísmo constatou que o treinamento com a meditação compassiva pode reduzir a divagação mental e encorajar um comportamento benevolente e cuidador com relação a si mesmo e aos outros. A meditação compassiva é focada em pensamentos benevolentes em relação a si mesmo e aos outros. Neste aspecto ela é diferente da maioria das formas de meditação. O artigo “Uma mente que divaga é uma mente menos cuidadora”, foi publicado recentemente no Journal of Positive Psychology. A divagação mental é a experiência de a atenção não permanecer em um único objeto por muito tempo. Pesquisas anteriores sugeriram que as pessoas gastam cerca de 50 por cento de suas horas de vigília…

  • Cuidar das nossas crianças cuidando de nós mesmos

    ~ por John Snyder – Professor Nas ocasiões em que eu desacelerei o suficiente para realmente refletir sobre isso, ocorreu-me que o meu trabalho como professor Montessoriano é muito difícil para alguém com habilidades limitadas como eu, ou seja, para alguém que ainda precisa se alimentar, dormir e ocasionalmente se divertir. As demandas parecem não parar nunca, e quando acontece de diminuírem de vez em quando, tenho um enorme acúmulo de projetos de melhoria para preencher esse tempo. Os pais às vezes perguntam com uma certa admiração: “Como você faz isso?” É mesmo! Como é que uma pessoa não só continua, mas faz tudo isso com ânimo, feliz, com um senso de perspectiva e, quase sempre,  calmamente presente na sala de aula? Fico feliz em compartilhar pelo menos…

  • A dor do cuidar e o privilégio do sofrer

    ~Sharon Salzberg … Eu me considero privilegiada por poder trabalhar com pessoas que estão, de certa forma, na linha de frente do sofrimento. Muitos, se não a maioria dos meus alunos, chegam à meditação vindos de situações de muita aflição. Tenho visto que a meditação pode ser uma ferramenta especialmente útil para os cuidadores e para o tipo de sofrimento que eles enfrentam. A prática da meditação nos encoraja a tomarmos consciência das nossas experiências e sentimentos, ao invés de tentar “consertá-los”. A meditação abre nossa mente e aprofunda a nossa coragem. Nos convida a encontrarmos uma maior liberdade emocional. Nos permite eliminarmos as diferenciações entre você versus eu, nós versus eles. Lembra a todos nós, cuidadores e…

  • Sustentando um espaço seguro

    Tradução livre do texto de Heather Plett – “What means to hold space for people plus eight tips on how to do it well”. Quando minha mãe estava morrendo, eu e meus irmãos nos reunimos para ficar com ela em seus dias finais. Nenhum de nós sabia nada sobre apoiar alguém em sua transição desta vida para a próxima, mas estávamos certos de que queríamos mantê-la em casa, e assim fizemos. Enquanto nós apoiávamos nossa mãe, éramos apoiados por uma talentosa enfermeira de cuidados paliativos, Ann, que vinha todos os dias para cuidar dela e conversar conosco sobre o que poderia acontecer nos próximos dias. Ela nos ensinou como injetar morfina quando…

  • Um momento, por favor!

    “Há uma espécie de força centrifuga na mente humana, que se chama modernidade. Ela nos dispersa e torna difícil sustentar nossa atenção por 5 segundos seguidos. Esta não é uma boa fórmula para florescermos ou sobrevivermos como espécie humana.” ~ Alan Wallace Veja o vídeo completo “Um Momento por Favor!”. [Acione a legenda em português, se desejar]

  • Perdoar tem algo de morrer

    “Quando nossas mentes estão cheias de raiva e de ódio por outras pessoas, na verdade, nós somos os únicos que estamos realmente sofrendo, aprisionados nesse estado mente. Mas não é muito fácil acessar o lugar dentro de nós que é capaz de perdoar, que é capaz de amar. Sob alguns aspectos, ser capaz de perdoar, de abrir mão, é uma espécie de morte. É a capacidade de dizer: “Eu não sou mais aquela pessoa, e você não é mais aquela pessoa.” O perdão nos permite recuperar uma parte de nós mesmos que havia ficado para trás presa a um evento passado. Pode ser que alguma parte da nossa identidade precise…

  • Mente e moralidade: onde elas se encontram?

    Joan Halifax “Não posso fazer outra coisa a não ser ter reverência diante de tudo que se chama vida. Não posso fazer outra coisa a não ser ter compaixão por tudo que se chama vida. Esse é o princípio e o fundamento de toda a ética.” -Dr. Albert Schweitzer Ao contemplar esta questão, mais perguntas brotaram: Qual o papel que a compaixão tem na intersecção entre mente e moralidade? Mente e moralidade estão conectadas pela compaixão baseada em princípios? O que é compaixão? E por que modificar a palavra “compaixão” com o termo “baseada em princípios”?

  • Ainda temos tempo. Ou não!

    O Professor Alan Wallace sempre nos convida a refletir sobre o que seria de fato importante se estivéssemos cara a cara com a morte. Para a maioria de nós, a perspectiva será absolutamente diferente desta que temos hoje, neste momento, em que achamos que a morte é algo que vai acontecer em um momento muito muito distante. O que será que as pessoas que estão morrendo têm a dizer sobre isso? Bronnie Ware é uma enfermeira australiana que passou vários anos trabalhando em cuidados paliativos, cuidando de pacientes nos últimos 12 semanas de suas vidas. Ela reuniu os relatos de seus pacientes em um livro chamado The Top Five Regrets of the Dying…

  • Cuidado com a propaganda neurocientífica

    A Revista Tricyle publicou hoje uma longa entrevista com a neurocientista e pesquisadora das práticas meditativas, Catherine Kerr, em que ela se declara bastante preocupada com a publicação de um artigo sobre a prática de “mindfulness” em um site bastante popular. O artigo citava 20 benefícios da meditação: “reduzir a solidão”, “aumentar a massa cinzenta” , “ajudar a dormir” entre outros, e apresentava a meditação como uma espécie de elixir de ouro para a vida moderna. Kerr postou o artigo na sua página do Facebook. “Não que tudo isso seja grosseiramente impreciso”, ela escreveu em seu post. “É que os estudos apresentam só os resultados positivos.” Catherine é Professora Assistente de Medicina e Medicina da Família da Universidade…

  • Cinco dicas para quem está começando a meditar

    Alice Boyes Sem dúvida você já ouviu dizer que meditar faz bem. No entanto, para muitas pessoas as descrições de meditação não são muito atraentes e parece ser uma coisa a mais para a qual você não tem tempo. Aqui estão cinco dicas para quem está começando a meditar que ajudam a superar os problemas de (1) a falta de atrativo, e (2) parecer muito assustador. 1. Comece com 3-5 minutos (ou menos) Alguns excelentes dados coletados de novos usuários do aplicativo *Lift goal-tracking app mostram que a maioria dos meditadores iniciantes começou com 3-5 minutos. Mesmo três minutos, pode parece um tempo enorme quando você começa a meditar; mas você pode começar…

  • O caminho de Shamatha

    Esta é uma linda representação do caminho de Shamatha, a meditação da quiescência ou calmo permanecer, amplamente utilizada em todas as tradições contemplativas. O elefante aqui representa a mente, que antes do treinamento, está tomado por aflições, medos e expectativas, representados pela cor escura. O praticante, representado aqui pelo monge, é quem vai treinar a mente. Com a atenção plena – representada pela corda – o praticante procura manter a mente focada no objeto de escolha, e com a vigilância – representada pelo gancho – o praticante monitora a qualidade do foco da atenção. O macaco representa um dos desequilíbrios da atenção – a distração. Ele tenta arrastar o praticante para todos os objetos dos…

  • A raiva nossa de cada dia

    “Grande parte dos estudos da psicologia contemporânea demonstram que quando uma pessoa expressa raiva frequentemente, a expressão da raiva fica cada vez mais fácil. Expressar raiva se torna um hábito. Muitas pessoas assumem que dispõem de uma determinada quantidade de raiva e que não querem mantê-la dentro de si – querem expulsá-la, de alguma forma. É como se a raiva fosse uma coisa sólida. Mas, na verdade, se observarmos com cuidado, descobrimos que a raiva não tem nenhuma solidez. Na realidade, a raiva é meramente uma resposta condicionada, que surge e se dissolve. Para nós, é crucial entendermos que quando nos identificamos com esses estados passageiros como se fossem sólidos e como…

  • A busca do sentido

    Um projeto de pesquisa da Universidade de Stanford explorou as principais diferenças entre a felicidade e o sentido. Embora sejam semelhantes, existem diferenças dramáticas – e não se deve subestimar o poder do significado. “A busca de sentido é uma parte fundamental daquilo que nos torna humanos”, concluíram os pesquisadores. Embora a felicidade e a vida com sentido se sobreponham, são experiências muito diferentes, de acordo com a pesquisa de Stanford. Em um estudo publicado no Journal of Positive Psychology, Jennifer Aaker, da Stanford Graduate School of Business, e pesquisadores associados, encontrou respostas sobre como as pessoas gastam seu tempo e que experiências eles cultivam. “A vida feliz está mais relacionada a ser um tomador em vez…

  • Em qualquer colisão com a realidade, você perde!

    Quando era jovem e estava aprendendo a dirigir motocicleta, recebi uma instrução muito útil, da qual nunca mais esqueci: “Quando estiver dirigindo uma moto, se você bater em qualquer coisa, você perde!” Da mesma forma, se colidir com qualquer aspecto da verdadeira natureza da realidade, dando a ela concretude como os substancialistas ou considerando que nada existe de forma alguma como os niilistas, você perde! ~ Alan Wallace – “The Fine Path of Liberation” – Santa Barbara – Novembro/2012

  • Basta soltar

    “Quando escolhemos a respiração como foco para a prática da meditação, os pensamentos, as imagens, as memórias, os impulsos, todos esses eventos mentais continuam surgindo. Antes que sejamos carregados por eles, podemos simplesmente soltá-los, sem qualquer esforço. A imagem que mais gosto de usar é a de uma criança soltando balões no ar. Não é preciso empurrá-los e nem cortar os fios. Basta soltá-los, alegremente!” Alan Wallace

  • Quando mais precisamos meditar

    Para avaliarmos se estamos fazendo a prática de shamatha corretamente, há sempre duas coisas a serem consideradas: o que a sua mente está trazendo para você e o que você está trazendo para a sua mente. São duas coisas bem diferentes. Algumas vezes durante a prática surgirão muitos pensamentos, não há como controlar, não há como escolher que isso seja diferente. Então você simplesmente repousa: muitos pensamentos vêm, muitos pensamentos vão. Você não está fazendo nada de errado; é assim que as coisas são. Mas se quando surgirem muitos pensamentos você for carregado por eles, aí sim: isso é distração, agitação. Outras vezes, sua mente estará bem quieta, com poucos…

  • Estudo revela que a expressão genética muda com a meditação

    Este estudo, realizado por pesquisadores de Wisconsin, Espanha e França, investigou os efeitos de um dia de prática meditativa intensiva em um grupo de meditadores experientes, em comparação a um grupo controle de indivíduos não treinados, que se dedicaram a atividades tranquilas mas não à meditação. Após oito horas de prática, os meditadores apresentaram diversas diferenças genéticas e moleculares, incluindo alteração dos níveis de mecanismos genéticos de regulação e níveis reduzidos de genes pró-inflamatórios, que por sua vez se correlacionaram a uma recuperação física mais rápida a uma situação estressante. O autor do estudo Dr. Richard Davidson revela: “Até onde sabemos, este é o primeiro trabalho que demonstrou alterações rápidas…

  • E por falar em Feliz Ano Novo…

    Muitas vezes as coisas mais óbvias são as mais difíceis de enxergar. É bom que olhemos por vários ângulos diferentes, que ouçamos das mais diversas formas, usufruindo do talento generoso de pessoas que buscam compartilhar suas experiências e visões sobre, afinal, como podemos ser mais felizes! Aqui está uma seleção de conferências de pessoas assim! Que em 2014 nós possamos nos alegrar com as coisas mais simples da vida! (Clique na imagem de Matthieu Ricard para assistir aos vídeos, quase todos com legendas em português) 1. Dan Gilbert –  O que nos faz felizes? Dan Gilbert, autor de “Stumbling on Happiness” (Tropeçando na Felicidade), contesta a idéia de que seremos…

  • A ansiedade da felicidade

    A vida dele é a busca de uma eterna busca. É o futuro que cria o seu presente. Tudo é uma cadeia interminável de desejo. Robert Frost ~ Sharon Salzberg – MInd and Life Institute Há muito tempo penso que neste trecho do poema, “Escapista – Nunca”, Robert Frost capta muito do que as tradições contemplativas descrevem como desejo, uma fonte de grande sofrimento. Desejo é diferente de força motivadora, intencionalidade e determinação; no desejo há um elemento de fixação sobre o que não se tem, em detrimento de apreciar e de ser grato por aquilo que se tem. É uma busca que nunca termina, que sempre segue pensando na…

  • A busca pela felicidade genuína

    B. Alan Wallace “A busca pela felicidade genuína e pela superação do sofrimento não é uma busca trivial. Não é uma questão de sorte. Tem a ver com a própria natureza da realidade. Examine com profundidade as causas que o levaram à delusão no passado e que estabeleceram a base da ignorância.”

  • Salve o seu dia

    “Não importa quão ocupados possamos estar, ou pensemos estar, ninguém nos paga o suficiente para se dar ao luxo de demandar nossos recursos mentais, todos os momentos do dia. Até mesmo durante o trabalho podemos dedicar quinze segundos aqui e sessenta segundos ali para equilibrar nossa atenção, concentrando-nos em nossa respiração. Podemos deixar nossos olhos abertos e nos sentarmos calmamente por alguns instantes, sem chamar a atenção. Podemos fazer isso em nosso local de trabalho, enquanto estamos na fila do banco, ou esperando o ônibus. Existem muitas breves ocasiões, desde que nos levantamos pela manhã até quando vamos dormir à noite, onde podemos “salvar o nosso dia” com uma “pitada”…

  • A meditação do amor altruísta

    ~ Matthieu Ricard Para cultivar o amor altruísta, primeiro devemos nos tornar plenamente conscientes do nosso próprio desejo de nos livrarmos do sofrimento e de experimentarmos bem-estar. Este passo é especialmente importante para aqueles que têm uma imagem negativa de si mesmos ou para aqueles que sofreram tanto que sentem que a felicidade não foi feita para eles. Devemos gerar assim uma atitude acolhedora, tolerante e benevolente com relação a nós mesmos e nos dispor a conseguir o que é verdadeiramente bom para nós mesmos. Uma vez que tenhamos reconhecido essa aspiração, temos de reconhecer também que ela é compartilhada por todos os seres. Devemos reconhecer nossa humanidade comum e…

  • O arrependimento de Darwin – pouca poesia e pouca música

    “Minha mente mudou nos últimos vinte ou trinta anos … Já há muitos anos eu não suporto sequer ler uma linha de poesia … Eu também perdi quase completamente o gosto por pintura ou música … Minha mente parece ter se tornado uma espécie de máquina de extrair leis gerais a partir de grandes conjuntos de fatos … Se eu tivesse que viver minha vida novamente, eu teria criado uma regra de ler alguma poesia e ouvir um pouco de música, pelo menos uma vez por semana … Perder esses gostos é perder felicidade, e possivelmente pode ser prejudicial para o intelecto, e mais provavelmente ao caráter moral, por enfraquecer…

  • Mente saudável, mente feliz

    “A felicidade genuína é o sintoma de uma mente saudável e equilibrada, assim como o bem-estar físico é o resultado de um corpo saudável. Entre as pessoas do mundo moderno, predomina a noção de que o sofrimento faz parte da vida, que é simplesmente normal experienciar frustração, depressão e ansiedade. Nosso sofrimento mental, porém, em muitas ocasiões não tem razão alguma de ser. Ele representa uma aflição sem benefício algum para nós. É somente o sintoma de uma mente desequilibrada. Em nossa busca constante pela felicidade, é importante que reconheçamos como algumas coisas no mundo estão fora do nosso controle. As outras pessoas – família, amigos, colegas de trabalho e…

  • Um equilíbrio plenamente atento

    O que o Buda realmente queria dizer com “atenção plena”? B. Alan Wallace descreve as implicações da incompreensão do termo na sua prática. O acadêmico e professor B. Alan Wallace é um prolífico autor e tradutor de textos budistas. Com títulos de Bacharelado em Física e Filosofia da Ciência pela Universidade Amherst e Ph.D. em Estudos Religiosos pela Universidade de Stanford, ele dedica a maior parte do seu tempo combinando seus interesses pelas tradições filosóficas e contemplativas budistas e suas relações com a ciência moderna. Wallace é fundador e presidente do Instituto Santa Bárbara de Estudos da Consciência, em Santa Bárbara, Califórnia. Aqui ele fala em profundidade com a Tricycle…

  • Compaixão Universal

    Eu tive a boa sorte de conhecer o Dalai Lama e de ter a oportunidade de passar quase 50 horas conversando com ele pessoalmente. E nós nos influenciamos mutuamente. Uma das influências que ele exerceu sobre mim foi conseguir me despertar meu interesse pela questão da compaixão. Todos nós sentimos compaixão por nossos filhos, principalmente quando eles ainda são indefesos e jovens. E então, novamente quando chegam desamparados à velhice ou um ponto em não possam cuidar de si próprios. Mas e com relação a um estranho, um estranho na rua, um estranho em outro país? Alguém que tem uma cor de pele diferente ou uma religião diferente? Não sentimos…

  • Os resultados do maior estudo sobre meditação para crianças

    Nos anos letivos de 2011-12 , a organização Mindful Schools em parceria com a Universidade da Califórnia (Davis) realizou o maior estudo randomizado controlado sobre meditação da atenção plena para crianças, envolvendo 915 crianças e 47 professores de três escolas públicas de Oakland . O currículo da Mindful Schools (que tem sido ensinado a mais de 30.000 crianças) produziu melhorias estatisticamente significativas no comportamento em relação ao grupo controle, com apenas quatro horas de práticas conduzidas – um programa bastante curto e de baixo custo. Além do grande número de crianças estudadas, é importante destacar  a população atendida e o meio ambiente ao redor das escolas. Há um elevado índice…

  • O que é compaixão?

    O que é compaixão e qual é a diferença de empatia ou altruísmo? A definição de compaixão é muitas vezes confundida com a de empatia. Empatia, conforme definido pelos pesquisadores, é a experiência visceral ou emocional dos sentimentos de outra pessoa. É, em certo sentido, um espelhamento automático da emoção do outro, como sofrer com a tristeza de um amigo. O altruísmo é uma ação que beneficia alguém, que pode ser acompanhada ou não por empatia ou compaixão, como por exemplo, fazer uma doação para obter benefícios fiscais. Embora estes termos estejam relacionados com compaixão, não são idênticas. A compaixão muitas vezes, naturalmente, envolve uma resposta empática e um comportamento…

  • Alan Wallace e Iyengar

    “Se quiser meditar, sentar ereto na postura de lótus, está bem! Mas primeiro domine shavasana! Você não estará pronto para meditar até que domine completamente esta postura” Esta foi a instrução que Alan Wallace recebeu do maravilhoso mestre de ioga chamado BKS Iyengar, há mais de 30 anos. A postura física é extremamente simples, não é mesmo?  Mas veja neste vídeo, Alan Wallace conta sobre o seu treinamento com o Iyengar em pessoa! O vídeo está legendado em português; talvez a legenda precise ser ativada no ícone CC, abaixo da tela.

  • Homem ao mar!

    Compaixão, pena e empatia. Será que é tudo a mesma coisa? Para explicar que não, o Professor Alan Wallace empresta uma metáfora perfeita de Matthieu Ricard,  “o homem mais feliz do mundo”. Imagine que você está em um navio, em alto-mar, e um homem, que está a bordo e que não sabe nadar, cai do barco. Logicamente, o que você sente, em primeiro lugar, é uma tristeza e um desespero profundo. O barco, por alguma razão não pode retornar e, portanto, o pobre homem vai morrer afogado. Tristeza! Você é um exímio nadador e pensa em pular no mar para salvar o homem. Mas como? Nadar para onde? Morreriam os…

  • Meditação: Não é o que você pensa

    Wendy Hasenkamp. Mind and Life Institute Você tem familiares, amigos, colegas que dizem que não conseguem meditar? A neurocientista residente do Mind and Life Institute, Wendy Hasenkamp, explora os equívocos populares sobre meditação e as razões para se continuar tentando. Quando eu explico para alguém que estou envolvida em pesquisa sobre meditação, não é incomum ouvir: “Ah, meditação – eu tentei. Mas não consigo meditar.” Essa resposta me traz um misto de emoções com partes iguais de tristeza e frustração, junto com uma grande dose de motivação. Tristeza porque as pessoas tiveram experiências com a meditação em uma perspectiva negativa e a associaram a uma sensação de ter fracassado. Frustração…

  • É preciso praticar… praticando

    Qualquer instrução, escrita ou transmitida por um professor, é como um mapa. “Mas como você sabe, um mapa não é o território que ele indica. Da mesma forma, não se pode confundir a instrução com a prática em si. Essa é uma jornada que você mesmo precisa vivenciar, cultivando a atenção plena na sua vida. (…) Nesse sentido, cultivar a meditação não é diferente do processo de fazer uma refeição. Seria absurdo propor que alguém comesse por você. E quando você vai a um restaurante, você não come o cardápio achando que é a comida, nem se alimenta apenas ouvindo o garçom descrevendo os pratos. Você precisa comer para poder…

  • Reencontrando

    “Encontre uma posição confortável, relaxe profundamente e procure manter o foco da sua atenção nos movimentos relacionados à entrada e à saída do ar” Instrução simples, não é? E ainda assim, rapidamente descobrimos que somos capazes de seguir essa instrução bem simples por não muito mais do que… 3 segundos! E então começamos a compreender que a nossa prática mesmo será trazer a nossa mente de volta pra casa vez após vez, durante o tempo que durar a nossa sessão. O segredo será fazer isso com delicadeza, com gentileza e com alegria – com a alegria de quem reencontra seu cachorrinho que havia se perdido! Nós não iremos bater no…

  • A Biologia da Coragem

    “Como pensamos e como agimos pode transformar nossa experiência do estresse. Quando você escolhe encarar sua resposta ao estresse como útil, você cria a biologia da coragem E quando você escolhe conectar-se com outros sob estresse, você pode criar resiliência. Eu não pediria necessariamente por mais experiências estressante na minha vida, mas essa ciência me deu uma apreciação inteiramente nova do estresse. O estresse nos dá acesso aos nossos corações. O coração compassivo que encontra alegria e significado quando se conecta com outros, e sim, seu coração físico batendo forte, trabalhando duro para lhe dar força e energia, e quando você escolhe encarar o estresse desse jeito, você não está…

  • De volta

    Cinco semanas… Há cinco semanas que nada acontece neste blog. Mas a causa é mais do que boa! Durante estas últimas semanas, me dediquei exclusivamente às práticas e aos estudos da formação no Programa Cultivating Emotional Balance, com a Dra Eve Ekman e com o Prof Alan Wallace. Uma preciosidade! Veja aqui o Prof Alan Wallace explicando os fundamentos do Programa: http://www.youtube.com/watch?v=wEgSMo3zcME O Cultivating Emotional Balance foi lindamente estruturado com base nos “Quatro Equilíbrios”: o Equilíbrio Conativo, que trata da nossa visão de mundo, das nossas motivações e prioridades o Equilíbrio da Atenção, que inclui propriamente as práticas de meditação o Equilíbrio Cognitivo, que trata da forma como percebemos o que se…

  • Sobre o sentido da vida

    Existe alguma diferença entre uma vida feliz e uma vida plena de sentido? Pessoas que são felizes mas que experimentam pouco ou nenhum sentido em suas vidas apresentam a mesma expressão genética que as pessoas que enfrentam adversidades cronicamente. Esta á a conclusão de um estudo conduzido por Barbara Fredrickson, psicóloga e pesquisadora especializada em emoções positivas na Universidade de Carolina do Norte -Chapel Hill, e Steve Cole, geneticista e pesquisador na área de psiquiatria na UCLA, publicado em Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS). “A felicidade sem sentido caracteriza uma vida relativamente superficial, auto-centrada ou até mesmo egoísta, em que as coisas vão bem, necessidades e desejos…

  • Meditação não é remédio

    Meditação serve para curar a ansiedade? Depressão? Deficit de Atenção? Quantos minutos por dia? Por quanto tempo? Esta é uma lógica bastante triste! Poderíamos chamá-la de lógica da medicalização. E apenas um profundo questionamento poderá nos salvar dela. “Entendemos por medicalização o processo em que as questões da vida social, sempre complexas,    multifatoriais e marcadas pela cultura e pelo tempo histórico, são reduzidas à lógica médica, vinculando aquilo que não está adequado às normas sociais a uma suposta causalidade orgânica, expressa no adoecimento do indivíduo. Assim, questões como os comportamentos não aceitos socialmente, as performances escolares que não atingem as metas das instituições, as conquistas desenvolvimentais que não ocorrem no…

  • A moralidade da meditação

    David DeSteno A meditação está rapidamente se tornando uma ferramenta da moda para melhorar a mente. Com a crescente evidência científica de que a prática pode aumentar a criatividade, a memória e os escores em testes de inteligência, o interesse por seus benefícios práticos está também crescendo. Uma série de programas de treinamento baseados na atenção plena (mindfulness), como o desenvolvido pelo engenheiro Chade-Meng Tan na empresa Google, e conferências como a Wisdom 2.0 para líderes de negócios e da área de tecnologia, prometem aos participantes uma visão sobre como a meditação pode ser usada para aumentar o desempenho individual, a liderança e a produtividade.

  • Um quarto de segundo

    Vamos revisar como os sentimentos se originam. Primeiramente, ocorre um contato direto com o estímulo sensorial, e isto serve de base para o sentimento subsequente. Por exemplo, primeiro você vê uma pessoa passando pela porta, e então reconhece a pessoa como um velho amigo ou talvez como uma ameaça; isto traz um sentimento como resposta. Uma vez que esse sentimento surge, pode por sua vez, dar origem a um desejo ou uma aversão com relação ao objeto, que não é igual ao sentimento original. Então, a resposta de desejo ou aversão pode levar a alguma outra coisa, como por exemplo, à intenção. Muitos desejos não resultam em intenções. Quando sentar…

  • Como trocar a distração pela satisfação

    ~ Daniel Goleman O funcionamento multitarefa pode nos fazer sentir desorientados. O que é pior – este frenético deslocamento entre duas ou mais coisas podem nos roubar o sentimento de satisfação. Jeremy Hunter, PhD, professor assistente na Peter F. Drucker School of Management, oferece um curso chamado The Executive Mind. Seus alunos muitas vezes lhe dizem que a multitarefa faz com que se sintam totalmente ineficazes, e irrita as pessoas com quem trabalham. Durante uma recente discussão de Jeremy com Mirabai Bush, ele compartilhou vários exemplos sobre maneiras de alterar hábitos de distração nas organizações. Aqui está o que ele apresentou. “Sabemos com base na pesquisa de Mihaly Csikszentmihalyi, que, a…

  • Precisamos falar sobre querer morrer…

    Aqui no Brasil, o suicídio mata 26 pessoas por dia. E o suicídio entre jovens está crescendo. E não falamos sobre isso. Há poucos dias, Sua Santidade o Dalai Lama disse já quase saindo do encontro “Mude sua Mente. Mude o Mundo.” em Wisconsin, a uma platéia que parecia já satisfeita em apenas ter ouvido o que havia sido discutido: “Nós todos falhamos em construir uma sociedade saudável. É responsabilidade de cada um aqui cuidar disso”. Falhamos… O Jornal Folha de São Paulo promoveu, nesta noite chuvosa de terça-feira, um debate necessário sobre suicídio. Estavam lá o psiquiatra José Manoel Bertolote, muito lúcido e conhecedor do assunto, autor de “O Suicídio e sua Prevenção“;…

  • Reconectados – A Cognição na Era Digital

    ~ Eric Jaffe Wlliam James não poderia ter imaginado um meio tão poderoso e penetrante quanto a Internet. O que ele de fato parecia saber, com uma clareza extraordinária para o seu tempo, era como a tecnologia da informação pode influenciar a cognição e o comportamento. Em sua obra The Principles of Psychology, 1890, James reconheceu que o nosso tecido nervoso possuía um “extraordinário grau de plasticidade” – ou seja, os estímulos externos podem alterar a própria estrutura do cérebro. Quando “agentes externos” inundam as nossas vias sensoriais e atingem o cérebro, eles deixam “caminhos que não desaparecem facilmente”, escreveu James. Em linha com o prognóstico de James, estudos recentes…

  • Impedimentos Históricos para o Surgimento de uma Ciência da Consciência no Ocidente

    ~ B. Alan Wallace Excerto de “Ciência Contemplativa. Onde o Budismo e a Neurociência se Encontram”   Volto-me em primeiro lugar para as duas raízes da civilização ocidental: as tradições greco-romana e judeu-cristã. Um fator fundamental para o surgi­mento de uma nova ciência é o desenvolvimento de instrumentos refinados para observar e fazer experimentos com os fenômenos que estão sendo in­vestigados. O uso do telescópio por Galileu para observar o Sol, a Lua e os planetas exerceu um papel crucial para o surgimento da ciência da astronomia. O uso do microscópio por Van Leeuwenhoek para observar formas microscópicas de vida foi igualmente crucial para o surgimento da biologia moderna. Por…

  • Se sentindo só em meio aos outros

    ~ Matthieu Ricard De acordo com Sherry Turkle, uma famosa psicóloga, escritora e diretora da Iniciativa “Tecnologia e Self” do MIT, a mídia “social” é, na realidade, apenas um meio para nos permitir estar sozinhos enquanto permanecemos conectados a muitas outras pessoas! Um menino de 16 anos, que produz de mensagens de texto sobre quase tudo, disse melancolicamente: “Algum dia, mas não agora, eu gostaria de aprender a ter uma conversa.” Os jovens têm mudado de “ter uma conversa” para “permanecer conectado “. Quando você tem 3.000 “amigos” no Facebook, você não tem conversas reais com nenhum deles. Você só faz ologin para poder falar sobre si mesmo para um público…

  • Instruções para Meditação – Alan Wallace

    ~ Alan Wallace Relaxamento Há duas posturas que eu recomendaria para esta prática: sentado ou deitado. Em geral, a postura melhor e mais recomendada é sentado sobre uma almofada, de pernas cruzadas. Se esta postura for muito desconfortável, você pode se sentar em uma cadeira, com os pés apoiados no chão. Uma outra postura menos utilizada é deitado de costas, com os braços estendidos ao lado do corpo, com as palmas para cima, e a cabeça apoiada em um travesseiro. Esta postura é especialmente útil se estiver com algum problema nas costas ou fisicamente cansado ou doente. Qualquer que seja a postura que você adotar, deixe seu corpo repousar à…

  • Meditação reduz sintomas de estresse pós-traumático em enfermeiros

    Praticar uma forma de meditação e de alongamento podem ajudar a aliviar os sintomas de transtorno de estresse pós-traumático e normalizar os níveis de hormônio do estresse, segundo um estudo realizado com enfermeiros. Nos Estados Unidos, mais de 7 milhões de adultos são diagnosticados com Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT) em um ano típico, de acordo com informação de base para o estudo, que será publicado na revista The Endocrine Society’s Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism. Pacientes com TEPT têm altos níveis de hormônio liberador de corticotrofina e baixos níveis de cortisol, que regulam a resposta do corpo ao estresse. Embora os níveis de cortisol normalmente subam em resposta…

  • Seus filhos precisam de pais felizes

    ~ Margareth Paul – Huffington Post Você consegue pensar em algo mais importante para seus filhos do que a sua própria felicidade e realização? Pense na sua própria infância. Seus pais eram felizes e realizados, e viviam em paz? Eram alegres e tinham um sorriso sempre à mão? Eles ofereceram amor e apoio a você. a si mesmos e um aos outro? Os meu não eram. Minha mãe estava sempre ansiosa e preocupada com tudo. Ela muitas vezes ficava com raiva de mim, não importando o quanto me esforçasse. Ela e meu pai sempre brigavam. Meu pai era geralmente ausente, e muitas vezes demonstrava raiva. Havia uma tensão quase constante…

  • Fazendo da felicidade um hábito

    ~ Susan Kaiser Greenland E se a felicidade fosse um hábito que pudéssemos ensinar às crianças? E é! Qualidades que nos afastam da felicidade (fortes emoções negativas) e as qualidades que nos conduzem à felicidade (ações éticas) são enraizadas nos hábitos desenvolvidos no passado. A Atenção Plena ajuda as crianças e os adolescentes a reconhecerem os hábitos que levam à felicidade e a abandonarem os que não levam. Os hábitos são fáceis de construir, difíceis de abandonar e todo mundo tem. Alguns hábitos são físicos (roer as unhas e enrolar o cabelo), alguns são verbais (usar certas palavras ou frases) e alguns são de natureza psicológica (preocupar-se, sonhar acordado, e…

  • A suposta realidade

    “Pelo menos desde o tempo de Descartes, os cientistas reconhecem a natureza subjetiva do mundo dos sentidos e têm procurado compreender o mundo físico real, uma vez que ele existe independentemente dos nossos sentidos. O que vem à mente quando você tenta conceber o universo como se ele realmente existisse “lá fora”? Pense, por exemplo, em um átomo. Você provavelmente vai imaginar um pequeno núcleo com elétrons circulando ao redor, dentro de um domínio muito maior de espaço vazio. Se você pensar no núcleo, poderá imaginar prótons e nêutrons. Se você conhecer um pouco mais de física, poderá imaginar partículas ainda menores, como os quarks. Você adquiriu essas imagens mentais…

  • As implicações sociais da meditação

    A meditação está associada a uma série de benefícios à saúde, incluindo uma melhor saúde mental, melhor cognição funcional, e até mesmo a um aumento da massa cinzenta no cérebro. No entanto, as implicações sociais da meditação nunca foram estudadas cientificamente. “Sabemos que a meditação melhora o bem-estar físico e psicológico”, disse Paul Condon, um estudante de pós-graduação no laboratório de David DeSteno, investigador principal. “Queríamos saber se a meditação realmente favorece o comportamento compassivo.” Em um novo estudo conduzido por Condon, a equipe DeSteno mostrou que mesmo um breve período de treinamento de meditação é de fato suficiente para incrementar em quase quatro vezes a atitude compassiva para com…

  • Como podemos ajudar as nossas crianças a manejar o estresse

    ~ Susan Kaiser Greenland Clique aqui para ver o vídeo com legenda  (selecione portuguese na bolinha verde abaixo do vídeo) ou veja a transcrição abaixo: A consciência plenamente atenta tem agora muitos significados para muitas pessoas. Mas o conceito clássico de atenção plena é basicamente uma forma de prestar atenção às experiências da vida de um modo particular, com uma atitude de bondade e compaixão por nós mesmos e pelos outros. Eu comecei a praticar a meditação da atenção plena com os meus filhos porque eu mesma já praticava. E pensei: “- uau, se está me ajudando, deve ajudar as crianças também”. É por isso que comecei a trabalhar com eles. Primeiramente, o estresse que…

  • Presta atenção, menino!

    “Os professores sempre pedem aos seus alunos para “prestarem atenção”, mas pode ser que eles nunca ensinem como fazer isso. A prática de atenção plena ensina a criança a prestar atenção, e esta forma de prestar atenção melhora a aprendizagem acadêmica e sócio-emocional. Atenção Plena é uma resposta bem efetiva ao estresse e melhora o processo neurológico chamado “função executiva”, ou seja, a habilidade de organizar tarefas, gerenciar o tempo, estabelecer prioridades, e tomar decisões. As crianças – incluindo aquelas diagnosticadas com problemas relacionados ao estresse – podem se beneficiar ao aprenderem a focar sua atenção, tornar-se menos reativas, e mais compassivas consigo mesmas e com os outros.” Thich Nhat…

  • Mude sua Mente. Mude o Mundo.

    No último dia 15 de maio, a Universidade de Wisconsin realizou o evento “Change your Mind. Change the World.”, com muitos conferencistas brilhantes, que conversaram durante todo o dia com Sua Santidade o Dalai Lama. No período da tarde, Richard Davidson, cientista reconhecido como uma das pessoas mais influentes do mundo pela Revista Times, apresentou o que a ciência já descobriu sobre o bem-estar. Sensacional! Esse trecho está legendado em português.

  • Estudo demonstra que o cérebro pode ser treinado em compaixão

    ~ Alison DeShaw Rowe – Centro de Investigação de Mentes Saudáveis Até o momento, pouco se sabe cientificamente sobre o potencial humano para cultivar a compaixão – o estado emocional de cuidar de pessoas que sofrem, de forma a motivar o comportamento altruísta. Um novo estudo realizado por pesquisadores do Centro de Investigação de Mentes Saudáveis, no Waisman Center da Universidade de Wisconsin-Madison, mostra que os adultos podem ser treinados para serem mais compassivos. O artigo, recentemente publicado online na revista Psychological Science, é o primeiro a investigar se o treinamento de adultos em compaixão pode resultar em maior comportamento altruísta e causar alterações relacionadas nos sistemas neurais subjacentes à compaixão.…

  • Por que as Crianças Francesas não têm Deficit de Atenção? – Parte 2

    O TADH é uma construção cultural ~ Marilyn Wedge  Agradeço o Dr. Sarkis pelo interesse em responder ao meu artigo “Por que as crianças francesas não têm Deficit de Atenção?” O ponto principal do meu artigo é que não há nenhuma evidência científica de que o TDAH seja um transtorno biológico real. Os cientistas médicos não isolaram uma causa biológica para o TDAH, nem tampouco existe um teste de laboratório para determiná-lo. O TDAH é uma construção social, feita por uma comissão de psiquiatras que são os autores do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM). Muitos dos autores do DSM-4 (56% para ser exata) têm vínculos financeiros com…

  • O TDAH existe? Uma reflexão sobre Humberto Maturana

    ~ Marilyn Wedge Em julho de 2012, assisti a uma palestra do ilustre biólogo, filósofo e pensador construtivista chileno, Humberto Maturana, numa conferência em que nós dois éramos palestrantes. Maturana é mais conhecido por sua teoria da autopoiese. Simplificando, a autopoiese (que significa, literalmente, auto-criação) é a visão de que o mundo em que vivemos é um mundo que nós mesmos criamos. De acordo com Maturana, toda a realidade, incluindo o fato de que as teorias científicas pretendem elucidar, é em última análise, auto-referencial e, portanto, deve levar em conta os cientistas que estão executando a elucidação. Todas as construções teóricas contêm implicitamente uma referência para a pessoa que está…

  • Crianças Francesas têm Deficit de Atenção: uma entrevista

    ~ Stephanie Sarkis Este post é uma resposta a Por que Crianças Francesas não têm Deficit de Atenção? de Marilyn Wedge, PhD Moliere desceveu o TDAH em sua peça L’Étourdi UO Les Contretemps (The Blunderer) em 1655. No entanto, o conceito de TDAH, ou “Transtorno do Deficit de Atenção com Hierpatividade”, como sendo um transtorno grave ainda não é totalmente aceito na França. No entanto, o TDAH afeta o funcionamento de 3,5% da população da França (Lecendreux, et ai. De 2011). Além disso, o TDAH é igualmente prevalente em outros países, como nos EUA (Faraone et ai. 2003).

  • Aprimoramento Humano por meio de Agentes Farmacológicos

    Comissão Nacional Consultiva de Ética Biomédica – Suiça – Outubro 2011   Faz parte da natureza humana tentar impulsionar suas capacidades físicas e mentais, bem como melhorar sua habilidades emocionais e sociais. Na verdade, certas abordagens éticas consideram que este é um imperativo moral. Em contraste, a Comissão Nacional Suiça Consultiva de Ética Biomédica (NEK-CNE) acredita que o que está em questão são os meios utilizados para alcançar o aprimoramento, bem como as consequências relacionadas à saúde e consequencias sociais do consumo de agentes que supostamente melhoram o desempenho. Nem todos os meios e consequências são não problemáticos do ponto de vista ético. Usando agentes farmacológicos que atualmente são consumidos para…

  • Como dar atenção à criança com deficit de atenção

    O papel da Parentalidade Plenamente Atenta Crianças com TDAH [Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade] têm dificuldades em manter a atenção durante períodos prolongados de tempo, para realizar metas e planos e têm dificuldade em inibir uma resposta prepotente (Barkley, 1998). Consequentemente, o seu comportamento é desatento, impulsivo e hiperativo. A TDAH é hereditário; por isso os pais de crianças com TDAH também podem apresentar sintomas de TDAH (Thapar et al 2007.).

  • Um outro lado da história do TDAH

    World Public Union Confissão de leito de morte do inventor do TDAH: o TDAH é uma doença fictícia   Felizmente, a Comissão Consultiva Nacional de Ética Biomédica da Suiça (NEK, presidente: Otfried Höffe) manifestou-se de maneira crítica acerca do uso do medicamento para TDAH, a Ritalina, no seu parecer de 22 de novembro de 2011, intitulado Aprimoramento humano por meio de agentes farmacológicos: “O consumo de agentes farmacológicos modificaram o comportamento da criança sem qualquer contribuição de sua parte.

  • Por que as crianças francesas não têm Deficit de Atenção?

    Marilyn Wedge, Ph.D Nos Estados Unidos, pelo menos 9% das crianças em idade escolar foram diagnosticadas com TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade), e estão sendo tratadas com medicamentos. Na França, a percentagem de crianças diagnosticadas e medicadas para o TDAH é inferior a 0,5%. Como é que a epidemia de TDAH, que tornou-se firmemente estabelecida nos Estados Unidos, foi quase completamente desconsiderada com relação a crianças na França? TDAH é um transtorno biológico-neurológico? Surpreendentemente, a resposta a esta pergunta depende do fato de você morar na França ou nos Estados Unidos. Nos Estados Unidos, os psiquiatras pediátricos consideram o TDAH como um distúrbio biológico, com causas biológicas.…

  • O que a ciência nos ensina sobre bem-estar?

    Finalizando os preparativos para receber Sua Santidade o Dalai Lama para um diálogo sobre Saúde Global e Bem-Estar, evento co-patrocinado pelo Center for Investigating Healthy Minds e pelo Global Health Institute, ambos da Universidade de Wisconsin – Madison, é oportuno refletir sobre o que a ciência está nos ensinando sobre bem-estar. Há quatro coisas que podemos agora dizer que a ciência nos ensinou sobre bem-estar: 1. O bem-estar é uma habilidade. Ao conceituar o bem-estar como uma habilidade, lançamos mão das idéias modernas da neurociência, em que o estudo da neuroplasticidade nos informa que a mente e o cérebro são altamente mutáveis, e que o cérebro está constantemente sendo moldado pela experiência e…

  • Compaixão e Negócios

    Pesquisas recentes sugerem que um ambiente de trabalho mais compassivo, onde a prontidão para ajudar e para perdoar fazem parte do modelo de negócio, é um lugar mais produtivo, eficiente e feliz. Nas empresas onde a compaixão é enfatizada, os empregados são menos estressados e mais satisfeitos com seus empregos, e o turnover é menor, dizem os pesquisadores. As pessoas que trabalham em organizações compassivas também são mais leais e engajadas, de acordo com pesquisadores. “Compaixão, fundamentalmente, define a nossa humanidade”, disse James Doty, o fundador e diretor Center for Compassion and Altruism Research and Education na Stanford University. Doty fez sua apresentação na recente Conferência sobre Compaixão e Negócios, onde os pesquisadores…

  • Como o Ioga altera os genes

    A resposta fugir ou lutar – resposta natural ao estresse – essencialmente acelera o sistema nervoso. E, portanto, não é nenhuma surpresa que o seu estado oposto, conhecida como a resposta de relaxamento ao estresse, está associada de modo geral com uma sensação de bem estar. Somos capazes de evocar a resposta de relaxamento, repetindo posturas de ioga, preces, ou mantras, e ao mesmo tempo desconsiderando outros pensamentos; foi demonstrado que isto protege contra distúrbios psicológicos como ansiedade e depressão, bem como contra problemas como hipertensão, doença cardiovascular, e tipos de câncer que são exacerbados pelo estresse. METODOLOGIA: Pesquisadores do Benson-Henry Institute for Mind/Body Medicine no Massachusetts General Hospital e no…

  • A Mente Compassiva

    O que é Compaixão? O que é compaixão e em que é diferente da empatia ou do altruísmo? A definição de compaixão é muitas vezes confundida com a da empatia. Empatia, conforme definido pelos pesquisadores, é a experiência visceral e emocional dos sentimentos de outra pessoa. É, em certo sentido, um espelhamento automático da emoção do outro. O altruísmo é uma ação que beneficia alguém, que pode ou não ser acompanhada por empatia ou compaixão, como por exemplo, no caso de se fazer uma doação com benefícios fiscais. Embora estes termos estejam relacionados com compaixão, eles não são idênticos. A compaixão muitas vezes, é claro, envolve uma resposta empática e…

  • Emoções negativas são chave para o bem-estar

    Association for Psychological Science Um cliente se senta diante de mim, buscando ajuda para desembaraçar seus problemas de relacionamento. Como psicoterapeuta, eu me esforço para ser acolhedor, imparcial e encorajador. Estou um pouco inquieto, e então, enquanto descrevia suas experiências dolorosas, o paciente me diz, “Sinto muito por ter sido tão negativo.” Na verdade, a raiva e a tristeza são uma parte importante da vida, e uma nova pesquisa mostra que experimentar e aceitar tais emoções são vitais para a nossa saúde mental. A tentativa de suprimir pensamentos pode ser um tiro pela culatra e até mesmo diminuir a nossa sensação de contentamento. “Reconhecer a complexidade da vida pode ser…