• Carvão ou luz do sol?

    Transcrevo aqui uma excelente reflexão do Prof. Alan Wallace oferecida em Londres, em abril de 2014. “Para explorar em profundidade a busca pela felicidade genuína, pela felicidade autêntica, é preciso desviar a atenção da busca pela felicidade hedônica. Há uma analogia que funciona para mim. Há cerca de um século, no Reino Unido, nos Estados Unidos e em alguns outros países, as cidades enfrentavam um grande problema decorrente da poluição causada uso do carvão. Em Londres, por exemplo, este era um enorme problema. Agora imagine hipoteticamente uma comunidade cuja única fonte de energia provém de uma usina de carvão. E é claro que essa população sofre de diversas doenças respiratórias –…

  • O bem-estar é uma habilidade que pode ser treinada

    Na tarde de ontem, quem teve a sorte de estar em casa ou ao menos de ter a possibilidade de passar 1h30 conectado à internet, pôde desfrutar do painel “The World We Make – Well Being in 2030”, encontro realizado pelo Mind and Life Institute, que ao menos anualmente aproxima cientistas de Sua Santidade o Dalai Lama. O encontro foi transmitido ao vivo, diretamente da Universidade de Wisconsin, no dia 9/março/2016 mas, até o momento em que estou escrevendo este post, infelizmente a gravação do evento não está disponível. O que eu gostaria de registrar aqui foi a participação de Richard Davidson – neurocientista brilhante, apontado como um dos homens mais influentes do mundo…

  • Conversa sobre Meditação e Equilíbrio Emocional

    Incrível como a tecnologia é capaz de fato de aproximar as pessoas! E não tenho como agradecer os amigos lindos que eu tenho, muito especialmente o Gustavo Gitti, e que têm a habilidade de criar uma verdadeira rede para as pessoas apoiarem umas as outras no caminho. Na última terça-feira, 1 de março, participei de um desses eventos organizados pelO Lugar, e em 1h30, pudemos abordar os principais fundamentos do Programa Cultivando o Equilíbrio Emocional, com a possibilidade até de tentar responder perguntas muito ricas que as pessoas enviavam pelo chat. Se tiverem um tempinho, ficou tudo gravado. Um grande beijo

  • A cegueira de todos nós

    Imagine que você está caminhando por uma calçada com os braços cheios de mantimentos e alguém tromba com você. Você cai e seus mantimentos se espalham pelo chão. Levantando-se da poça de ovos quebrados e suco de tomate, você está prestes a gritar, “Seu idiota! O que há de errado com você? Você é cego?” Mas antes mesmo de conseguir recuperar o fôlego para falar, você vê que a pessoa que trombou com você é realmente cega. Ela também está esparramada por sobre os mantimentos. A sua raiva desaparece em um instante, e é substituída por uma preocupação: “Você está ferido? Posso ajudá-lo? ” Nossa situação é exatamente essa. Quando…

  • A dor do cuidar e o privilégio do sofrer

    ~Sharon Salzberg … Eu me considero privilegiada por poder trabalhar com pessoas que estão, de certa forma, na linha de frente do sofrimento. Muitos, se não a maioria dos meus alunos, chegam à meditação vindos de situações de muita aflição. Tenho visto que a meditação pode ser uma ferramenta especialmente útil para os cuidadores e para o tipo de sofrimento que eles enfrentam. A prática da meditação nos encoraja a tomarmos consciência das nossas experiências e sentimentos, ao invés de tentar “consertá-los”. A meditação abre nossa mente e aprofunda a nossa coragem. Nos convida a encontrarmos uma maior liberdade emocional. Nos permite eliminarmos as diferenciações entre você versus eu, nós versus eles. Lembra a todos nós, cuidadores e…

  • Sustentando um espaço seguro

    Tradução livre do texto de Heather Plett – “What means to hold space for people plus eight tips on how to do it well”. Quando minha mãe estava morrendo, eu e meus irmãos nos reunimos para ficar com ela em seus dias finais. Nenhum de nós sabia nada sobre apoiar alguém em sua transição desta vida para a próxima, mas estávamos certos de que queríamos mantê-la em casa, e assim fizemos. Enquanto nós apoiávamos nossa mãe, éramos apoiados por uma talentosa enfermeira de cuidados paliativos, Ann, que vinha todos os dias para cuidar dela e conversar conosco sobre o que poderia acontecer nos próximos dias. Ela nos ensinou como injetar morfina quando…

  • Um momento, por favor!

    “Há uma espécie de força centrifuga na mente humana, que se chama modernidade. Ela nos dispersa e torna difícil sustentar nossa atenção por 5 segundos seguidos. Esta não é uma boa fórmula para florescermos ou sobrevivermos como espécie humana.” ~ Alan Wallace Veja o vídeo completo “Um Momento por Favor!”. [Acione a legenda em português, se desejar]

  • Perdoar tem algo de morrer

    “Quando nossas mentes estão cheias de raiva e de ódio por outras pessoas, na verdade, nós somos os únicos que estamos realmente sofrendo, aprisionados nesse estado mente. Mas não é muito fácil acessar o lugar dentro de nós que é capaz de perdoar, que é capaz de amar. Sob alguns aspectos, ser capaz de perdoar, de abrir mão, é uma espécie de morte. É a capacidade de dizer: “Eu não sou mais aquela pessoa, e você não é mais aquela pessoa.” O perdão nos permite recuperar uma parte de nós mesmos que havia ficado para trás presa a um evento passado. Pode ser que alguma parte da nossa identidade precise…

  • Mente e moralidade: onde elas se encontram?

    Joan Halifax “Não posso fazer outra coisa a não ser ter reverência diante de tudo que se chama vida. Não posso fazer outra coisa a não ser ter compaixão por tudo que se chama vida. Esse é o princípio e o fundamento de toda a ética.” -Dr. Albert Schweitzer Ao contemplar esta questão, mais perguntas brotaram: Qual o papel que a compaixão tem na intersecção entre mente e moralidade? Mente e moralidade estão conectadas pela compaixão baseada em princípios? O que é compaixão? E por que modificar a palavra “compaixão” com o termo “baseada em princípios”?

  • Ainda temos tempo. Ou não!

    O Professor Alan Wallace sempre nos convida a refletir sobre o que seria de fato importante se estivéssemos cara a cara com a morte. Para a maioria de nós, a perspectiva será absolutamente diferente desta que temos hoje, neste momento, em que achamos que a morte é algo que vai acontecer em um momento muito muito distante. O que será que as pessoas que estão morrendo têm a dizer sobre isso? Bronnie Ware é uma enfermeira australiana que passou vários anos trabalhando em cuidados paliativos, cuidando de pacientes nos últimos 12 semanas de suas vidas. Ela reuniu os relatos de seus pacientes em um livro chamado The Top Five Regrets of the Dying…

  • Cuidado com a propaganda neurocientífica

    A Revista Tricyle publicou hoje uma longa entrevista com a neurocientista e pesquisadora das práticas meditativas, Catherine Kerr, em que ela se declara bastante preocupada com a publicação de um artigo sobre a prática de “mindfulness” em um site bastante popular. O artigo citava 20 benefícios da meditação: “reduzir a solidão”, “aumentar a massa cinzenta” , “ajudar a dormir” entre outros, e apresentava a meditação como uma espécie de elixir de ouro para a vida moderna. Kerr postou o artigo na sua página do Facebook. “Não que tudo isso seja grosseiramente impreciso”, ela escreveu em seu post. “É que os estudos apresentam só os resultados positivos.” Catherine é Professora Assistente de Medicina e Medicina da Família da Universidade…

  • Cinco dicas para quem está começando a meditar

    Alice Boyes Sem dúvida você já ouviu dizer que meditar faz bem. No entanto, para muitas pessoas as descrições de meditação não são muito atraentes e parece ser uma coisa a mais para a qual você não tem tempo. Aqui estão cinco dicas para quem está começando a meditar que ajudam a superar os problemas de (1) a falta de atrativo, e (2) parecer muito assustador. 1. Comece com 3-5 minutos (ou menos) Alguns excelentes dados coletados de novos usuários do aplicativo *Lift goal-tracking app mostram que a maioria dos meditadores iniciantes começou com 3-5 minutos. Mesmo três minutos, pode parece um tempo enorme quando você começa a meditar; mas você pode começar…

  • O caminho de Shamatha

    Esta é uma linda representação do caminho de Shamatha, a meditação da quiescência ou calmo permanecer, amplamente utilizada em todas as tradições contemplativas. O elefante aqui representa a mente, que antes do treinamento, está tomado por aflições, medos e expectativas, representados pela cor escura. O praticante, representado aqui pelo monge, é quem vai treinar a mente. Com a atenção plena – representada pela corda – o praticante procura manter a mente focada no objeto de escolha, e com a vigilância – representada pelo gancho – o praticante monitora a qualidade do foco da atenção. O macaco representa um dos desequilíbrios da atenção – a distração. Ele tenta arrastar o praticante para todos os objetos dos…

  • A raiva nossa de cada dia

    “Grande parte dos estudos da psicologia contemporânea demonstram que quando uma pessoa expressa raiva frequentemente, a expressão da raiva fica cada vez mais fácil. Expressar raiva se torna um hábito. Muitas pessoas assumem que dispõem de uma determinada quantidade de raiva e que não querem mantê-la dentro de si – querem expulsá-la, de alguma forma. É como se a raiva fosse uma coisa sólida. Mas, na verdade, se observarmos com cuidado, descobrimos que a raiva não tem nenhuma solidez. Na realidade, a raiva é meramente uma resposta condicionada, que surge e se dissolve. Para nós, é crucial entendermos que quando nos identificamos com esses estados passageiros como se fossem sólidos e como…

  • A busca do sentido

    Um projeto de pesquisa da Universidade de Stanford explorou as principais diferenças entre a felicidade e o sentido. Embora sejam semelhantes, existem diferenças dramáticas – e não se deve subestimar o poder do significado. “A busca de sentido é uma parte fundamental daquilo que nos torna humanos”, concluíram os pesquisadores. Embora a felicidade e a vida com sentido se sobreponham, são experiências muito diferentes, de acordo com a pesquisa de Stanford. Em um estudo publicado no Journal of Positive Psychology, Jennifer Aaker, da Stanford Graduate School of Business, e pesquisadores associados, encontrou respostas sobre como as pessoas gastam seu tempo e que experiências eles cultivam. “A vida feliz está mais relacionada a ser um tomador em vez…

  • Em qualquer colisão com a realidade, você perde!

    Quando era jovem e estava aprendendo a dirigir motocicleta, recebi uma instrução muito útil, da qual nunca mais esqueci: “Quando estiver dirigindo uma moto, se você bater em qualquer coisa, você perde!” Da mesma forma, se colidir com qualquer aspecto da verdadeira natureza da realidade, dando a ela concretude como os substancialistas ou considerando que nada existe de forma alguma como os niilistas, você perde! ~ Alan Wallace – “The Fine Path of Liberation” – Santa Barbara – Novembro/2012

  • Basta soltar

    “Quando escolhemos a respiração como foco para a prática da meditação, os pensamentos, as imagens, as memórias, os impulsos, todos esses eventos mentais continuam surgindo. Antes que sejamos carregados por eles, podemos simplesmente soltá-los, sem qualquer esforço. A imagem que mais gosto de usar é a de uma criança soltando balões no ar. Não é preciso empurrá-los e nem cortar os fios. Basta soltá-los, alegremente!” Alan Wallace

  • Quando mais precisamos meditar

    Para avaliarmos se estamos fazendo a prática de shamatha corretamente, há sempre duas coisas a serem consideradas: o que a sua mente está trazendo para você e o que você está trazendo para a sua mente. São duas coisas bem diferentes. Algumas vezes durante a prática surgirão muitos pensamentos, não há como controlar, não há como escolher que isso seja diferente. Então você simplesmente repousa: muitos pensamentos vêm, muitos pensamentos vão. Você não está fazendo nada de errado; é assim que as coisas são. Mas se quando surgirem muitos pensamentos você for carregado por eles, aí sim: isso é distração, agitação. Outras vezes, sua mente estará bem quieta, com poucos…

  • Estudo revela que a expressão genética muda com a meditação

    Este estudo, realizado por pesquisadores de Wisconsin, Espanha e França, investigou os efeitos de um dia de prática meditativa intensiva em um grupo de meditadores experientes, em comparação a um grupo controle de indivíduos não treinados, que se dedicaram a atividades tranquilas mas não à meditação. Após oito horas de prática, os meditadores apresentaram diversas diferenças genéticas e moleculares, incluindo alteração dos níveis de mecanismos genéticos de regulação e níveis reduzidos de genes pró-inflamatórios, que por sua vez se correlacionaram a uma recuperação física mais rápida a uma situação estressante. O autor do estudo Dr. Richard Davidson revela: “Até onde sabemos, este é o primeiro trabalho que demonstrou alterações rápidas…

  • E por falar em Feliz Ano Novo…

    Muitas vezes as coisas mais óbvias são as mais difíceis de enxergar. É bom que olhemos por vários ângulos diferentes, que ouçamos das mais diversas formas, usufruindo do talento generoso de pessoas que buscam compartilhar suas experiências e visões sobre, afinal, como podemos ser mais felizes! Aqui está uma seleção de conferências de pessoas assim! Que em 2014 nós possamos nos alegrar com as coisas mais simples da vida! (Clique na imagem de Matthieu Ricard para assistir aos vídeos, quase todos com legendas em português) 1. Dan Gilbert –  O que nos faz felizes? Dan Gilbert, autor de “Stumbling on Happiness” (Tropeçando na Felicidade), contesta a idéia de que seremos…

  • A ansiedade da felicidade

    A vida dele é a busca de uma eterna busca. É o futuro que cria o seu presente. Tudo é uma cadeia interminável de desejo. Robert Frost ~ Sharon Salzberg – MInd and Life Institute Há muito tempo penso que neste trecho do poema, “Escapista – Nunca”, Robert Frost capta muito do que as tradições contemplativas descrevem como desejo, uma fonte de grande sofrimento. Desejo é diferente de força motivadora, intencionalidade e determinação; no desejo há um elemento de fixação sobre o que não se tem, em detrimento de apreciar e de ser grato por aquilo que se tem. É uma busca que nunca termina, que sempre segue pensando na…

  • A busca pela felicidade genuína

    B. Alan Wallace “A busca pela felicidade genuína e pela superação do sofrimento não é uma busca trivial. Não é uma questão de sorte. Tem a ver com a própria natureza da realidade. Examine com profundidade as causas que o levaram à delusão no passado e que estabeleceram a base da ignorância.”

  • Salve o seu dia

    “Não importa quão ocupados possamos estar, ou pensemos estar, ninguém nos paga o suficiente para se dar ao luxo de demandar nossos recursos mentais, todos os momentos do dia. Até mesmo durante o trabalho podemos dedicar quinze segundos aqui e sessenta segundos ali para equilibrar nossa atenção, concentrando-nos em nossa respiração. Podemos deixar nossos olhos abertos e nos sentarmos calmamente por alguns instantes, sem chamar a atenção. Podemos fazer isso em nosso local de trabalho, enquanto estamos na fila do banco, ou esperando o ônibus. Existem muitas breves ocasiões, desde que nos levantamos pela manhã até quando vamos dormir à noite, onde podemos “salvar o nosso dia” com uma “pitada”…

  • A meditação do amor altruísta

    ~ Matthieu Ricard Para cultivar o amor altruísta, primeiro devemos nos tornar plenamente conscientes do nosso próprio desejo de nos livrarmos do sofrimento e de experimentarmos bem-estar. Este passo é especialmente importante para aqueles que têm uma imagem negativa de si mesmos ou para aqueles que sofreram tanto que sentem que a felicidade não foi feita para eles. Devemos gerar assim uma atitude acolhedora, tolerante e benevolente com relação a nós mesmos e nos dispor a conseguir o que é verdadeiramente bom para nós mesmos. Uma vez que tenhamos reconhecido essa aspiração, temos de reconhecer também que ela é compartilhada por todos os seres. Devemos reconhecer nossa humanidade comum e…

  • O arrependimento de Darwin – pouca poesia e pouca música

    “Minha mente mudou nos últimos vinte ou trinta anos … Já há muitos anos eu não suporto sequer ler uma linha de poesia … Eu também perdi quase completamente o gosto por pintura ou música … Minha mente parece ter se tornado uma espécie de máquina de extrair leis gerais a partir de grandes conjuntos de fatos … Se eu tivesse que viver minha vida novamente, eu teria criado uma regra de ler alguma poesia e ouvir um pouco de música, pelo menos uma vez por semana … Perder esses gostos é perder felicidade, e possivelmente pode ser prejudicial para o intelecto, e mais provavelmente ao caráter moral, por enfraquecer…

  • Mente saudável, mente feliz

    “A felicidade genuína é o sintoma de uma mente saudável e equilibrada, assim como o bem-estar físico é o resultado de um corpo saudável. Entre as pessoas do mundo moderno, predomina a noção de que o sofrimento faz parte da vida, que é simplesmente normal experienciar frustração, depressão e ansiedade. Nosso sofrimento mental, porém, em muitas ocasiões não tem razão alguma de ser. Ele representa uma aflição sem benefício algum para nós. É somente o sintoma de uma mente desequilibrada. Em nossa busca constante pela felicidade, é importante que reconheçamos como algumas coisas no mundo estão fora do nosso controle. As outras pessoas – família, amigos, colegas de trabalho e…

  • Um equilíbrio plenamente atento

    O que o Buda realmente queria dizer com “atenção plena”? B. Alan Wallace descreve as implicações da incompreensão do termo na sua prática. O acadêmico e professor B. Alan Wallace é um prolífico autor e tradutor de textos budistas. Com títulos de Bacharelado em Física e Filosofia da Ciência pela Universidade Amherst e Ph.D. em Estudos Religiosos pela Universidade de Stanford, ele dedica a maior parte do seu tempo combinando seus interesses pelas tradições filosóficas e contemplativas budistas e suas relações com a ciência moderna. Wallace é fundador e presidente do Instituto Santa Bárbara de Estudos da Consciência, em Santa Bárbara, Califórnia. Aqui ele fala em profundidade com a Tricycle…

  • Compaixão Universal

    Eu tive a boa sorte de conhecer o Dalai Lama e de ter a oportunidade de passar quase 50 horas conversando com ele pessoalmente. E nós nos influenciamos mutuamente. Uma das influências que ele exerceu sobre mim foi conseguir me despertar meu interesse pela questão da compaixão. Todos nós sentimos compaixão por nossos filhos, principalmente quando eles ainda são indefesos e jovens. E então, novamente quando chegam desamparados à velhice ou um ponto em não possam cuidar de si próprios. Mas e com relação a um estranho, um estranho na rua, um estranho em outro país? Alguém que tem uma cor de pele diferente ou uma religião diferente? Não sentimos…

  • O que é compaixão?

    O que é compaixão e qual é a diferença de empatia ou altruísmo? A definição de compaixão é muitas vezes confundida com a de empatia. Empatia, conforme definido pelos pesquisadores, é a experiência visceral ou emocional dos sentimentos de outra pessoa. É, em certo sentido, um espelhamento automático da emoção do outro, como sofrer com a tristeza de um amigo. O altruísmo é uma ação que beneficia alguém, que pode ser acompanhada ou não por empatia ou compaixão, como por exemplo, fazer uma doação para obter benefícios fiscais. Embora estes termos estejam relacionados com compaixão, não são idênticas. A compaixão muitas vezes, naturalmente, envolve uma resposta empática e um comportamento…

  • Alan Wallace e Iyengar

    “Se quiser meditar, sentar ereto na postura de lótus, está bem! Mas primeiro domine shavasana! Você não estará pronto para meditar até que domine completamente esta postura” Esta foi a instrução que Alan Wallace recebeu do maravilhoso mestre de ioga chamado BKS Iyengar, há mais de 30 anos. A postura física é extremamente simples, não é mesmo?  Mas veja neste vídeo, Alan Wallace conta sobre o seu treinamento com o Iyengar em pessoa! O vídeo está legendado em português; talvez a legenda precise ser ativada no ícone CC, abaixo da tela.

  • Homem ao mar!

    Compaixão, pena e empatia. Será que é tudo a mesma coisa? Para explicar que não, o Professor Alan Wallace empresta uma metáfora perfeita de Matthieu Ricard,  “o homem mais feliz do mundo”. Imagine que você está em um navio, em alto-mar, e um homem, que está a bordo e que não sabe nadar, cai do barco. Logicamente, o que você sente, em primeiro lugar, é uma tristeza e um desespero profundo. O barco, por alguma razão não pode retornar e, portanto, o pobre homem vai morrer afogado. Tristeza! Você é um exímio nadador e pensa em pular no mar para salvar o homem. Mas como? Nadar para onde? Morreriam os…

  • Meditação: Não é o que você pensa

    Wendy Hasenkamp. Mind and Life Institute Você tem familiares, amigos, colegas que dizem que não conseguem meditar? A neurocientista residente do Mind and Life Institute, Wendy Hasenkamp, explora os equívocos populares sobre meditação e as razões para se continuar tentando. Quando eu explico para alguém que estou envolvida em pesquisa sobre meditação, não é incomum ouvir: “Ah, meditação – eu tentei. Mas não consigo meditar.” Essa resposta me traz um misto de emoções com partes iguais de tristeza e frustração, junto com uma grande dose de motivação. Tristeza porque as pessoas tiveram experiências com a meditação em uma perspectiva negativa e a associaram a uma sensação de ter fracassado. Frustração…

  • É preciso praticar… praticando

    Qualquer instrução, escrita ou transmitida por um professor, é como um mapa. “Mas como você sabe, um mapa não é o território que ele indica. Da mesma forma, não se pode confundir a instrução com a prática em si. Essa é uma jornada que você mesmo precisa vivenciar, cultivando a atenção plena na sua vida. (…) Nesse sentido, cultivar a meditação não é diferente do processo de fazer uma refeição. Seria absurdo propor que alguém comesse por você. E quando você vai a um restaurante, você não come o cardápio achando que é a comida, nem se alimenta apenas ouvindo o garçom descrevendo os pratos. Você precisa comer para poder…

  • Reencontrando

    “Encontre uma posição confortável, relaxe profundamente e procure manter o foco da sua atenção nos movimentos relacionados à entrada e à saída do ar” Instrução simples, não é? E ainda assim, rapidamente descobrimos que somos capazes de seguir essa instrução bem simples por não muito mais do que… 3 segundos! E então começamos a compreender que a nossa prática mesmo será trazer a nossa mente de volta pra casa vez após vez, durante o tempo que durar a nossa sessão. O segredo será fazer isso com delicadeza, com gentileza e com alegria – com a alegria de quem reencontra seu cachorrinho que havia se perdido! Nós não iremos bater no…

  • A Biologia da Coragem

    “Como pensamos e como agimos pode transformar nossa experiência do estresse. Quando você escolhe encarar sua resposta ao estresse como útil, você cria a biologia da coragem E quando você escolhe conectar-se com outros sob estresse, você pode criar resiliência. Eu não pediria necessariamente por mais experiências estressante na minha vida, mas essa ciência me deu uma apreciação inteiramente nova do estresse. O estresse nos dá acesso aos nossos corações. O coração compassivo que encontra alegria e significado quando se conecta com outros, e sim, seu coração físico batendo forte, trabalhando duro para lhe dar força e energia, e quando você escolhe encarar o estresse desse jeito, você não está…

  • De volta

    Cinco semanas… Há cinco semanas que nada acontece neste blog. Mas a causa é mais do que boa! Durante estas últimas semanas, me dediquei exclusivamente às práticas e aos estudos da formação no Programa Cultivating Emotional Balance, com a Dra Eve Ekman e com o Prof Alan Wallace. Uma preciosidade! Veja aqui o Prof Alan Wallace explicando os fundamentos do Programa: http://www.youtube.com/watch?v=wEgSMo3zcME O Cultivating Emotional Balance foi lindamente estruturado com base nos “Quatro Equilíbrios”: o Equilíbrio Conativo, que trata da nossa visão de mundo, das nossas motivações e prioridades o Equilíbrio da Atenção, que inclui propriamente as práticas de meditação o Equilíbrio Cognitivo, que trata da forma como percebemos o que se…

  • Sobre o sentido da vida

    Existe alguma diferença entre uma vida feliz e uma vida plena de sentido? Pessoas que são felizes mas que experimentam pouco ou nenhum sentido em suas vidas apresentam a mesma expressão genética que as pessoas que enfrentam adversidades cronicamente. Esta á a conclusão de um estudo conduzido por Barbara Fredrickson, psicóloga e pesquisadora especializada em emoções positivas na Universidade de Carolina do Norte -Chapel Hill, e Steve Cole, geneticista e pesquisador na área de psiquiatria na UCLA, publicado em Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS). “A felicidade sem sentido caracteriza uma vida relativamente superficial, auto-centrada ou até mesmo egoísta, em que as coisas vão bem, necessidades e desejos…

  • Meditação não é remédio

    Meditação serve para curar a ansiedade? Depressão? Deficit de Atenção? Quantos minutos por dia? Por quanto tempo? Esta é uma lógica bastante triste! Poderíamos chamá-la de lógica da medicalização. E apenas um profundo questionamento poderá nos salvar dela. “Entendemos por medicalização o processo em que as questões da vida social, sempre complexas,    multifatoriais e marcadas pela cultura e pelo tempo histórico, são reduzidas à lógica médica, vinculando aquilo que não está adequado às normas sociais a uma suposta causalidade orgânica, expressa no adoecimento do indivíduo. Assim, questões como os comportamentos não aceitos socialmente, as performances escolares que não atingem as metas das instituições, as conquistas desenvolvimentais que não ocorrem no…

  • A moralidade da meditação

    David DeSteno A meditação está rapidamente se tornando uma ferramenta da moda para melhorar a mente. Com a crescente evidência científica de que a prática pode aumentar a criatividade, a memória e os escores em testes de inteligência, o interesse por seus benefícios práticos está também crescendo. Uma série de programas de treinamento baseados na atenção plena (mindfulness), como o desenvolvido pelo engenheiro Chade-Meng Tan na empresa Google, e conferências como a Wisdom 2.0 para líderes de negócios e da área de tecnologia, prometem aos participantes uma visão sobre como a meditação pode ser usada para aumentar o desempenho individual, a liderança e a produtividade.

  • Um quarto de segundo

    Vamos revisar como os sentimentos se originam. Primeiramente, ocorre um contato direto com o estímulo sensorial, e isto serve de base para o sentimento subsequente. Por exemplo, primeiro você vê uma pessoa passando pela porta, e então reconhece a pessoa como um velho amigo ou talvez como uma ameaça; isto traz um sentimento como resposta. Uma vez que esse sentimento surge, pode por sua vez, dar origem a um desejo ou uma aversão com relação ao objeto, que não é igual ao sentimento original. Então, a resposta de desejo ou aversão pode levar a alguma outra coisa, como por exemplo, à intenção. Muitos desejos não resultam em intenções. Quando sentar…

  • Como trocar a distração pela satisfação

    ~ Daniel Goleman O funcionamento multitarefa pode nos fazer sentir desorientados. O que é pior – este frenético deslocamento entre duas ou mais coisas podem nos roubar o sentimento de satisfação. Jeremy Hunter, PhD, professor assistente na Peter F. Drucker School of Management, oferece um curso chamado The Executive Mind. Seus alunos muitas vezes lhe dizem que a multitarefa faz com que se sintam totalmente ineficazes, e irrita as pessoas com quem trabalham. Durante uma recente discussão de Jeremy com Mirabai Bush, ele compartilhou vários exemplos sobre maneiras de alterar hábitos de distração nas organizações. Aqui está o que ele apresentou. “Sabemos com base na pesquisa de Mihaly Csikszentmihalyi, que, a…

  • Precisamos falar sobre querer morrer…

    Aqui no Brasil, o suicídio mata 26 pessoas por dia. E o suicídio entre jovens está crescendo. E não falamos sobre isso. Há poucos dias, Sua Santidade o Dalai Lama disse já quase saindo do encontro “Mude sua Mente. Mude o Mundo.” em Wisconsin, a uma platéia que parecia já satisfeita em apenas ter ouvido o que havia sido discutido: “Nós todos falhamos em construir uma sociedade saudável. É responsabilidade de cada um aqui cuidar disso”. Falhamos… O Jornal Folha de São Paulo promoveu, nesta noite chuvosa de terça-feira, um debate necessário sobre suicídio. Estavam lá o psiquiatra José Manoel Bertolote, muito lúcido e conhecedor do assunto, autor de “O Suicídio e sua Prevenção“;…

  • Reconectados – A Cognição na Era Digital

    ~ Eric Jaffe Wlliam James não poderia ter imaginado um meio tão poderoso e penetrante quanto a Internet. O que ele de fato parecia saber, com uma clareza extraordinária para o seu tempo, era como a tecnologia da informação pode influenciar a cognição e o comportamento. Em sua obra The Principles of Psychology, 1890, James reconheceu que o nosso tecido nervoso possuía um “extraordinário grau de plasticidade” – ou seja, os estímulos externos podem alterar a própria estrutura do cérebro. Quando “agentes externos” inundam as nossas vias sensoriais e atingem o cérebro, eles deixam “caminhos que não desaparecem facilmente”, escreveu James. Em linha com o prognóstico de James, estudos recentes…

  • Impedimentos Históricos para o Surgimento de uma Ciência da Consciência no Ocidente

    ~ B. Alan Wallace Excerto de “Ciência Contemplativa. Onde o Budismo e a Neurociência se Encontram”   Volto-me em primeiro lugar para as duas raízes da civilização ocidental: as tradições greco-romana e judeu-cristã. Um fator fundamental para o surgi­mento de uma nova ciência é o desenvolvimento de instrumentos refinados para observar e fazer experimentos com os fenômenos que estão sendo in­vestigados. O uso do telescópio por Galileu para observar o Sol, a Lua e os planetas exerceu um papel crucial para o surgimento da ciência da astronomia. O uso do microscópio por Van Leeuwenhoek para observar formas microscópicas de vida foi igualmente crucial para o surgimento da biologia moderna. Por…

  • Se sentindo só em meio aos outros

    ~ Matthieu Ricard De acordo com Sherry Turkle, uma famosa psicóloga, escritora e diretora da Iniciativa “Tecnologia e Self” do MIT, a mídia “social” é, na realidade, apenas um meio para nos permitir estar sozinhos enquanto permanecemos conectados a muitas outras pessoas! Um menino de 16 anos, que produz de mensagens de texto sobre quase tudo, disse melancolicamente: “Algum dia, mas não agora, eu gostaria de aprender a ter uma conversa.” Os jovens têm mudado de “ter uma conversa” para “permanecer conectado “. Quando você tem 3.000 “amigos” no Facebook, você não tem conversas reais com nenhum deles. Você só faz ologin para poder falar sobre si mesmo para um público…

  • Instruções para Meditação – Alan Wallace

    ~ Alan Wallace Relaxamento Há duas posturas que eu recomendaria para esta prática: sentado ou deitado. Em geral, a postura melhor e mais recomendada é sentado sobre uma almofada, de pernas cruzadas. Se esta postura for muito desconfortável, você pode se sentar em uma cadeira, com os pés apoiados no chão. Uma outra postura menos utilizada é deitado de costas, com os braços estendidos ao lado do corpo, com as palmas para cima, e a cabeça apoiada em um travesseiro. Esta postura é especialmente útil se estiver com algum problema nas costas ou fisicamente cansado ou doente. Qualquer que seja a postura que você adotar, deixe seu corpo repousar à…

  • Meditação reduz sintomas de estresse pós-traumático em enfermeiros

    Praticar uma forma de meditação e de alongamento podem ajudar a aliviar os sintomas de transtorno de estresse pós-traumático e normalizar os níveis de hormônio do estresse, segundo um estudo realizado com enfermeiros. Nos Estados Unidos, mais de 7 milhões de adultos são diagnosticados com Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT) em um ano típico, de acordo com informação de base para o estudo, que será publicado na revista The Endocrine Society’s Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism. Pacientes com TEPT têm altos níveis de hormônio liberador de corticotrofina e baixos níveis de cortisol, que regulam a resposta do corpo ao estresse. Embora os níveis de cortisol normalmente subam em resposta…

  • Seus filhos precisam de pais felizes

    ~ Margareth Paul – Huffington Post Você consegue pensar em algo mais importante para seus filhos do que a sua própria felicidade e realização? Pense na sua própria infância. Seus pais eram felizes e realizados, e viviam em paz? Eram alegres e tinham um sorriso sempre à mão? Eles ofereceram amor e apoio a você. a si mesmos e um aos outro? Os meu não eram. Minha mãe estava sempre ansiosa e preocupada com tudo. Ela muitas vezes ficava com raiva de mim, não importando o quanto me esforçasse. Ela e meu pai sempre brigavam. Meu pai era geralmente ausente, e muitas vezes demonstrava raiva. Havia uma tensão quase constante…

  • Fazendo da felicidade um hábito

    ~ Susan Kaiser Greenland E se a felicidade fosse um hábito que pudéssemos ensinar às crianças? E é! Qualidades que nos afastam da felicidade (fortes emoções negativas) e as qualidades que nos conduzem à felicidade (ações éticas) são enraizadas nos hábitos desenvolvidos no passado. A Atenção Plena ajuda as crianças e os adolescentes a reconhecerem os hábitos que levam à felicidade e a abandonarem os que não levam. Os hábitos são fáceis de construir, difíceis de abandonar e todo mundo tem. Alguns hábitos são físicos (roer as unhas e enrolar o cabelo), alguns são verbais (usar certas palavras ou frases) e alguns são de natureza psicológica (preocupar-se, sonhar acordado, e…

  • A suposta realidade

    “Pelo menos desde o tempo de Descartes, os cientistas reconhecem a natureza subjetiva do mundo dos sentidos e têm procurado compreender o mundo físico real, uma vez que ele existe independentemente dos nossos sentidos. O que vem à mente quando você tenta conceber o universo como se ele realmente existisse “lá fora”? Pense, por exemplo, em um átomo. Você provavelmente vai imaginar um pequeno núcleo com elétrons circulando ao redor, dentro de um domínio muito maior de espaço vazio. Se você pensar no núcleo, poderá imaginar prótons e nêutrons. Se você conhecer um pouco mais de física, poderá imaginar partículas ainda menores, como os quarks. Você adquiriu essas imagens mentais…

  • As implicações sociais da meditação

    A meditação está associada a uma série de benefícios à saúde, incluindo uma melhor saúde mental, melhor cognição funcional, e até mesmo a um aumento da massa cinzenta no cérebro. No entanto, as implicações sociais da meditação nunca foram estudadas cientificamente. “Sabemos que a meditação melhora o bem-estar físico e psicológico”, disse Paul Condon, um estudante de pós-graduação no laboratório de David DeSteno, investigador principal. “Queríamos saber se a meditação realmente favorece o comportamento compassivo.” Em um novo estudo conduzido por Condon, a equipe DeSteno mostrou que mesmo um breve período de treinamento de meditação é de fato suficiente para incrementar em quase quatro vezes a atitude compassiva para com…

  • Mude sua Mente. Mude o Mundo.

    No último dia 15 de maio, a Universidade de Wisconsin realizou o evento “Change your Mind. Change the World.”, com muitos conferencistas brilhantes, que conversaram durante todo o dia com Sua Santidade o Dalai Lama. No período da tarde, Richard Davidson, cientista reconhecido como uma das pessoas mais influentes do mundo pela Revista Times, apresentou o que a ciência já descobriu sobre o bem-estar. Sensacional! Esse trecho está legendado em português.

  • Estudo demonstra que o cérebro pode ser treinado em compaixão

    ~ Alison DeShaw Rowe – Centro de Investigação de Mentes Saudáveis Até o momento, pouco se sabe cientificamente sobre o potencial humano para cultivar a compaixão – o estado emocional de cuidar de pessoas que sofrem, de forma a motivar o comportamento altruísta. Um novo estudo realizado por pesquisadores do Centro de Investigação de Mentes Saudáveis, no Waisman Center da Universidade de Wisconsin-Madison, mostra que os adultos podem ser treinados para serem mais compassivos. O artigo, recentemente publicado online na revista Psychological Science, é o primeiro a investigar se o treinamento de adultos em compaixão pode resultar em maior comportamento altruísta e causar alterações relacionadas nos sistemas neurais subjacentes à compaixão.…

  • O que a ciência nos ensina sobre bem-estar?

    Finalizando os preparativos para receber Sua Santidade o Dalai Lama para um diálogo sobre Saúde Global e Bem-Estar, evento co-patrocinado pelo Center for Investigating Healthy Minds e pelo Global Health Institute, ambos da Universidade de Wisconsin – Madison, é oportuno refletir sobre o que a ciência está nos ensinando sobre bem-estar. Há quatro coisas que podemos agora dizer que a ciência nos ensinou sobre bem-estar: 1. O bem-estar é uma habilidade. Ao conceituar o bem-estar como uma habilidade, lançamos mão das idéias modernas da neurociência, em que o estudo da neuroplasticidade nos informa que a mente e o cérebro são altamente mutáveis, e que o cérebro está constantemente sendo moldado pela experiência e…

  • Compaixão e Negócios

    Pesquisas recentes sugerem que um ambiente de trabalho mais compassivo, onde a prontidão para ajudar e para perdoar fazem parte do modelo de negócio, é um lugar mais produtivo, eficiente e feliz. Nas empresas onde a compaixão é enfatizada, os empregados são menos estressados e mais satisfeitos com seus empregos, e o turnover é menor, dizem os pesquisadores. As pessoas que trabalham em organizações compassivas também são mais leais e engajadas, de acordo com pesquisadores. “Compaixão, fundamentalmente, define a nossa humanidade”, disse James Doty, o fundador e diretor Center for Compassion and Altruism Research and Education na Stanford University. Doty fez sua apresentação na recente Conferência sobre Compaixão e Negócios, onde os pesquisadores…

  • Como o Ioga altera os genes

    A resposta fugir ou lutar – resposta natural ao estresse – essencialmente acelera o sistema nervoso. E, portanto, não é nenhuma surpresa que o seu estado oposto, conhecida como a resposta de relaxamento ao estresse, está associada de modo geral com uma sensação de bem estar. Somos capazes de evocar a resposta de relaxamento, repetindo posturas de ioga, preces, ou mantras, e ao mesmo tempo desconsiderando outros pensamentos; foi demonstrado que isto protege contra distúrbios psicológicos como ansiedade e depressão, bem como contra problemas como hipertensão, doença cardiovascular, e tipos de câncer que são exacerbados pelo estresse. METODOLOGIA: Pesquisadores do Benson-Henry Institute for Mind/Body Medicine no Massachusetts General Hospital e no…

  • A Mente Compassiva

    O que é Compaixão? O que é compaixão e em que é diferente da empatia ou do altruísmo? A definição de compaixão é muitas vezes confundida com a da empatia. Empatia, conforme definido pelos pesquisadores, é a experiência visceral e emocional dos sentimentos de outra pessoa. É, em certo sentido, um espelhamento automático da emoção do outro. O altruísmo é uma ação que beneficia alguém, que pode ou não ser acompanhada por empatia ou compaixão, como por exemplo, no caso de se fazer uma doação com benefícios fiscais. Embora estes termos estejam relacionados com compaixão, eles não são idênticos. A compaixão muitas vezes, é claro, envolve uma resposta empática e…

  • Emoções negativas são chave para o bem-estar

    Association for Psychological Science Um cliente se senta diante de mim, buscando ajuda para desembaraçar seus problemas de relacionamento. Como psicoterapeuta, eu me esforço para ser acolhedor, imparcial e encorajador. Estou um pouco inquieto, e então, enquanto descrevia suas experiências dolorosas, o paciente me diz, “Sinto muito por ter sido tão negativo.” Na verdade, a raiva e a tristeza são uma parte importante da vida, e uma nova pesquisa mostra que experimentar e aceitar tais emoções são vitais para a nossa saúde mental. A tentativa de suprimir pensamentos pode ser um tiro pela culatra e até mesmo diminuir a nossa sensação de contentamento. “Reconhecer a complexidade da vida pode ser…

  • Os perigos da mente distraída

    Alguns acham que médicos e pais se apressam ao obrigar crianças naturalmente cheias de energia a se adaptarem aos padrões adultos Quando estamos em situações em que temos que atuar sob pressão –digamos que Neymar se aproxima de você para marcar o gol do desempate ou você tem apenas 24 horas para salvar o sistema financeiro global–, nossas diretivas internas, quando conseguimos nos manter calmos o suficiente para pensar nelas, normalmente se resumem a variações sobre um único tema: “Concentre-se!”. A capacidade de focar é importante não apenas em crises.As distrações diárias chegam não aos poucos, mas às centenas, e a pessoa que é capaz de desligar-se delas e concentrar-se…

  • As pequenas alegrias da vida

    “Pessoas que, de forma geral, são felizes, que mantêm um sentimento de bom humor, de ânimo e de bem-estar, são aquelas que encontram muitas pequenas coisas ao longo do dia com as quais se alegrar. Por outro lado, episódios ocasionais de experiências drasticamente positivas, como ganhar na loteria ou alcançar um objetivo muito importante, como ter sucesso em um grande investimento, têm pouco impacto sobre a sensação geral de bem-estar das pessoas. Assim, cultivar a alegria empática pode, de fato, pouco a pouco, inundar sua vida de felicidade.” Alan Wallace – Genuine Happiness

  • O que há de mais natural em todos nós

    Em seu livro “A Arte da Felicidade”, o Dalai Lama define compaixão como “um estado de mente que é não violento, que não fere e não agride. É uma atitude mental baseada no desejo de que os outros se livrem de seu sofrimento, e está associada a uma sensação de compromisso, responsabilidade e respeito para com o outro”. Ela surge a partir de um sentimento chamado em tibetano de tsewa, para o qual a tradução mais aproximada seria simplesmente “cuidado sincero”, que o Dalai Lama considera a mais fundamental das emoções humanas. Quando a compaixão inunda os nossos corações, não podemos suportar o sofrimento dos outros, porque sentimos como se…

  • Como e por que parar de fazer várias coisas ao mesmo tempo

    Por que nós tentamos operar no modo “multitarefa”, o que acontece quando fazemos isso, e por que parece tão irresistível parar de fazer mais de uma coisa ao mesmo tempo? Peter Bregman, autor de um artigo publicado no Harvard Business Review e consultor estratégico de CEOs, avalia suas próprias armadilhas para pesquisar a respeito de como fazer várias coisas ao mesmo tempo impacta a nossa capacidade de processar informações. Embora possamos pensar que estamos sendo mais produtivos realizando várias tarefas simultaneamente, a pesquisa parece mostrar que na verdade estamos apenas voando de uma tarefa para outra. “Fazer várias coisas ao mesmo tempo é um truque que fazemos conosco, pensando que…

  • “Atenção Plena” nas Escolas

    Olhando com cuidado, quando se fala de “meditação para crianças”, quase sempre se trata de “atenção plena”, um termo que traduz de forma bem empobrecida a palavra em inglês “mindfulness”. Atenção plena, segundo Jon Kabat Zinn, poderia ser definida da seguinte forma: “consciência que emerge por prestar atenção propositadamente, no momento presente, sem julgamentos, aos desdobramentos das experiências, momento a momento” Estas práticas buscam criar um espaço para que as reações impulsivas se tornem mais conscientes: As crianças podem se beneficiar dessas práticas de diversas maneiras: melhor foco e concentração maior senso de calma diminuição do estresse e ansiedade mais controle sobre reações impulsivas maior auto-consciência mais habilidade em responder…

  • Só em meio aos outros

    Matthieu Ricard De acordo com Sherry Turkle, uma famosa psicóloga, escritora e diretora da Iniciativa “Tecnologia e Self” do MIT, a mídia “social” é, na realidade, apenas um meio para nos permitir estar sozinhos enquanto permanecemos conectados a muitas outras pessoas! Um menino de 16 anos, que produz de mensagens de texto sobre quase tudo, disse melancolicamente: “Algum dia, mas não agora, eu gostaria de aprender a ter uma conversa.” Os jovens têm mudado de “ter uma conversa” para “permanecer conectado “. Quando você tem 3.000 “amigos” no Facebook, você não tem conversas reais com nenhum deles. Você só faz ologin para poder falar sobre si mesmo para um público seguro.…

  • Conheça homens e mulheres que optaram por uma vida mais simples

     Há premissas que muito raramente desafiamos. Esta matéria, publicada no site http://www.pragmatismopolitico.com.br/, está intimamente relacionada ao equilíbrio conativo, ao conceito de Felicidade Ganuína, que o Prof Alan Wallace vem nos explicando – uma reflexão sobre o que realmente nos faz felizes. Segue o texto na íntegra: Na contramão da sociedade contemporânea, homens e mulheres optam por uma vida mais simples. Eles garantem que são Mais felizes. Conheça as histórias: Você pode ter passado a vida inteira, ou parte dela, ouvindo a expressão: tempo é dinheiro. Conhecido de perto um universo em que ter do “bom e do melhor” é sinônimo de uma vida sossegada. Também deve ter escutado, e acreditado, que…

  • Hábitos que conduzem à felicidade

    Matthieu Ricard ficou conhecido como “o homem mais feliz do mundo” e afirma que podemos treinar nossa mente com hábitos de bem estar, para gerar um verdadeiro sentido de serenidade e plenitude. Original em http://www.ted.com/talks/matthieu_ricard_on_the_habits_of_happiness  

  • Refinando a percepção da realidade

    “Nosso objetivo é cultivar o equilíbrio cognitivo, um termo especial para algo que é muito comum. Equilíbrio cognitivo é a ausência de deficit e de hiperatividade da cognição. O deficit cognitivo ocorre quando não notamos algo que é claramente apresentado a nós. Por exemplo, podemos olhar diretamente para o rosto de uma pessoa mas, por estarmos tão submersos em nossos próprios pensamentos, somos incapazes de notar suas expressões, tom de voz e seu estado emocional. Na hiperatividade cognitiva, lembramos de coisas que nunca aconteceram, ou vemos coisas que são totalmente projetadas. Nós sobrepomos conceitos sobre a realidade e os confundimos com aquilo que está sendo apresentado. Diferenciar claramente o que…

  • Investigando a mente em primeira pessoa

    “No contexto mais amplo da ciência e do conhecimento acadêmico, nós, no Ocidente, somos propensos à visão muito restrita, preconceituosa e, essencialmente não científica, do potencial da mente para observações objetivas. Consideramos que os cinco sentidos externos, com as suas extensões por meio de instrumentos de tecnologia, nos fornecem informações “objetivas”, enquanto a mente, voltada para dentro, é considerada “subjetiva” demais para fornecer dados confiáveis sobre o que quer que esteja observando. De acordo com este ponto de vista, o empirismo – a exploração da realidade por meio da observação e da experiência (em oposição à confiança no dogmatismo ou racionalismo puro) – deve ser focado no mundo físico e…

  • O que é Ética Secular?

    Sua Santidade o 14 º Dalai Lama disse que “no mundo secular de hoje, a religião apenas já não é mais adequada como base para a ética … qualquer resposta baseada na religião para o problema da nossa negligência com relação a valores internos nunca poderá ser universal, e portanto será inadequada. O que nós precisamos hoje é de uma abordagem para a ética, que não recorra à religião e que possa ser igualmente aceitável para os que têm fé e para os que não têm: uma ética secular”.(1) Se ampliarmos o que consideramos “ética secular” para além de sua caracterização pelo Dalai Lama, podemos considerá-la como sendo uma parte…

  • (Não) Temos tempo!

    “Um dos maiores impedimentos para treinar a atenção é não encontrar tempo para isso. E a razão é que devotamos muito tempo a outras prioridades. Algumas dessas prioridades estão centradas nas nossas necessidades básicas, mas muitas delas estão relacionadas ao desejo. Ao desejar os símbolos da boa vida – riqueza, prazeres transitórios, fama e reputação – podemos nos privar da realidade de viver bem. A razão para não dedicarmos mais tempo a equilibrar as nossas mentes é que estamos apostando nossas vidas na premissa de que encontraremos a felicidade que buscamos perseguindo prazeres transitórios. Os psicólogos chamaram isro de “esteira hedônica” e o primeiro passo para escapar desse triturador exaustivo…

  • A nossa mente normal

    O Equilíbrio da Atenção é um componente fundamental do Equilíbrio Emocional. “Como disse William James, filósofo americano e pioneiro da psicologia moderna, “a cada momento, aquilo a que prestamos atenção é a realidade”. Obviamente ele não queria dizer com isso que as coisas se tornam inexistentes quando as ignoramos; muitas coisas das quais não temos consciência exercem poderosa influência sobre nossas vidas e sobre o mundo como um todo. Mas ao ignorá-las, elas não são incluídas na nossa realidade. Cada um de nós escolhe o universo que habitamos e as pessoas que encontramos, pela forma como prestamos atenção às coisas. Porém, para a maioria de nós, essa “escolha” é inconsciente,…

  • O Alto Preço do Materialismo

    Olhar para aquilo pelo quê trabalhamos e aquilo que desejamos – e portanto ao que dedicamos tempo e recursos – nos dá algum insight sobre as nossas prioridades. E nossas prioridades muitas vezes se baseiam em premissas que nem sempre desafiamos, não é mesmo? Longe de ser apenas um apelo ativista contra o consumismo, contemplar os efeitos do materialismo é um tema diretamente relacionado ao equilíbrio emocional e ao bem-estar, mais especificamente ligado ao equilíbrio conativo. “O termo conação se refere às nossas faculdades de desejo e vontade. O equilíbrio conativo, um elemento crucial da saúde mental, se expressa quando os nossos desejos nos conduzem à felicidade, nossa e dos…

  • A meditação e o comportamento compassivo

    Essas questões estavam no coração de um estudo recente liderado por Paul Condon, um estudante de pós-graduação em psicologia social, do Dr. David DeSteno na Northeastern University. O experimento ofereceu aos participantes oito semanas de instruções de meditação. Em encontros de duas horas por semana, para a metade dos participantes foram ensinadas técnicas para a prática da atenção plena, e a outra metade foi treinada em compaixão. Um grupo controle de pessoas que também estavam interessadas em aprender meditação receberam treinamento depois que o estudo terminou.

  • A felicidade é uma habilidade

    Existe uma ciência da felicidade? Richard Davidson Eu acho que há um ciência da felicidade que está se desenvolvendo e que uma das coisas que aprendemos a cerca da felicidade a partir do trabalho sobre o qual estamos falando, é que é melhor pensarmos na felicidade como uma habilidade. Normalmente não pensamos assim. Mas na verdade, todo este trabalho nos levará a ver desta forma – se praticarmos, nos tornaremos melhores nisso.

  • Nada é mais importante do que ensinar a compaixão

    Como educadores, temos um desejo genuíno de contribuir para uma sociedade mais feliz. No entanto, às vezes me pergunto como podemos manter esta intenção viva e torná-la uma realidade. Você se lembra de uma carta escrita por um sobrevivente do Holocausto? Ele disse: “Meus olhos viram o que nenhuma pessoa deve testemunhar: câmaras de gás construídas por engenheiros formados, crianças envenenadas por médicos instruídos, bebês mortos por enfermeiras treinadas, mulheres e bebês assassinados por graduados. Então, eu sou suspeito com relação à educação. Meu pedido é: ajude seus filhos a se tornarem humanos “.

  • Equilíbrio Mental e Bem-Estar

    Alan Wallace e Shauna Shapiro Durante algum tempo, a psicologia clínica focou principalmente o diagnóstico e o tratamento das doenças mentais. Apenas recentemente a atenção tem se voltado à compreensão e ao cultivo de uma saúde mental positiva. Alan Wallace e Shauna Shapiro propuseram um modelo para o cultivo do bem-estar mental, composto por quatro tipos de equilíbrio mental: Equilíbrio Conativo O termo conação se refere às faculdades da intenção e da volição. Por exemplo, a intenção de passar mais tempo com seus filhos ou de perder peso são exemplos de conação, com uma intenção ou um objetivo, onde há um comprometimento maior do que no caso de um simples…

  • Investigando a Mente em Primeira Pessoa

    Desde a virada do século, um número crescente de estudos científicos revelaram os benefícios para a saúde de vários tipos de meditação baseadas na atenção plena. Scans do cérebro, medições de EEG, estudos de comportamento e questionários têm mostrado a influência da meditação sobre o cérebro e sobre o comportamento, que para muitas pessoas empresta algum grau de credibilidade à prática da meditação. Na esmagadora maioria desses estudos, aqueles que conduzem e na pesquisa são cientistas treinados profissionalmente, com a intenção de aplicar medidas objetivas para entender a natureza e os efeitos da meditação. Em contraste, os meditadores são tratados como indivíduos nestes estudos, semelhante sujeitos humanos e não-humanos em outros tipos de pesquisa…

  • Fazendo uma Revolução

    Destemor, assim como a felicidade genuína, vem de dentro. Parece fácil, certo? Não para aqueles de nós aprisionados ao desequilíbrio da modernidade, diz Alan Wallace. Como a “modernidade” é agora um fenômeno global, significa que a maioria de nós mal pode arranhar a superfície da introspecção, diz o fundador e presidente do Santa Barbara Institute for Consciousness Studies e autor do livro Genuine Happiness. É hora de desafiar destemidamente 400 anos de velhas suposições. O que precisamos é de uma revolução, um novo Renascimento, uma fusão de sabedorias disponíveis no Oriente e no Ocidente. Por onde começar? Dr. Wallace acredita que o cenário perfeito é o seu próprio campo de estudos…

  • A Ciência da Compaixão

    Graças algumas pessoas que trouxeram os ensinamentos sobre atenção plena do Oriente e alguns cientistas que, ao longo dos últimos 30 anos, empiricamente têm estudado seus efeitos, muitos experimentaram os profundos efeitos dessa prática: reduzem o estresse, tornam-se mais eficientes, e possivelmente adquiriram algum insight sobre apego e ilusão. Embora o caminho da atenção plena tenha a incrível capacidade de resultar em transformação, não se pode fazer esta viagem sozinhos. Pode representar até mesmo um perigo, porque sem conhecimento e sabedoria, pode tronar-se  exercício narcisista de isolamento e de auto-absorção. Ainda que a atenção plena possa fazer muitas coisas positivas, isoladamente não pode oferecer o que buscamos de mais profundo,…

  • Celular vs Coração

    Barbara L. Fredrickson – New York Times Você consegue se lembrar da última vez que esteve em um espaço público e não notou que metade das pessoas ao seu redor estava debruçada sobre uma tela digital, conectando-se com alguém em algum outro lugar? A maioria de nós está bem consciente da conveniência que o acesso eletrônico imediato proporciona. Menos tem sido dito sobre os custos. A pesquisa que meus colegas e eu acabamos de concluir, e que será publicada na próxima edição da Psychological Science, sugere que podemos mensurar a nossa capacidade biológica de nos conectarmos com outras pessoas. Nossos hábitos enraizados nos modificam. Neurônios que disparam juntos, se conectam,…

  • Superando as barreiras para o autoconhecimento

    Erika Carlson – Washington University Existem muitos pontos cegos no autoconhecimento, que podem ter diversas consequências negativas para nós mesmos e para os outros. O artigo “Overcoming the Barriers to Self-Knowledge: Mindfulness as a Path to Seeing Yourself as You Really Are“, de Erika Carlson, publicado na edição de março da revista Perspectives on Psychological Science, procurou explorar a hipótese de que a “Atenção Plena”, conforme definido por Jon Kabat-Zinn – prestar atenção de uma maneira específica: propositadamente, momento a momento, sem julgamento – melhora o autoconhecimento. Conhecer a própria personalidade reflete uma percepção precisa dos padrões de pensamento, sentimento e comportamento, bem como saber como os outros percebem esses padrões. As…

  • Meditação – Entender ou Aprender

    Marcos Rojo Quando alguém nos ensina alguma coisa, podemos dizer que entendemos caso a explicação nos faça sentido, mas, isto não significa que a aprendemos. Alguém só é possuidor de algo, quando o apreende e no processo de ensino-aprendizagem, isto significa incorporar, passar por uma experiência. Aprender corresponde a vivenciar e isto é isento de palavras e conceitos, é apenas sensação. Se você já experimentou o sabor azedo de alguma fruta, poderá imaginar o sabor de outra, quando alguém lhe diz que tal fruta também é azeda. Desta forma, a experiência não só nos possibilita aprender algo, mas também pode ampliar um repertório de possibilidades para outras conclusões. Crianças tem…

  • Uma Sociedade Plenamente Atenta

    Jon Kabat-Zinn em entrevista a Barry Boyce A Atenção Plena (Mindfulness) vai além de simplesmente cultivar nossa atenção? O que a Atenção Plena promete de mais importante é muito mais do que isso, muito mais profundo. Essa prática nos ajuda a entender que a nossa visão convencional sobre nós mesmos, e até mesmo sobre o que queremos dizer com “eu”, é incompleta em alguns aspectos muito importantes. A Atenção Plena nos ajuda a reconhecermos como e porque tomamos erroneamente a realidade das coisas por uma história que criamos, e então torna possível traçar um caminho para uma maior sanidade, um maior bem-estar e propósito. Por que você acha que a…

  • Somos como respiramos

    Arnaud Maitland A maneira como respiramos determina nosso bem-estar físico, mental, emocional e espiritual. Quando o fluxo da respiração é desigual, a energia não nutre certas áreas do corpo. Essas partes ao final se tornam entorpecidas, enquanto outras áreas onde a respiração se concentra tornam-se superreativas. Quando a nossa respiração é suave e bem distribuída, nossos sentidos se renovam e o nosso coração relaxa. Nosso estado mental determina a forma como respiramos e vice-versa: a forma como respiramos é a forma como somos. Quando estamos nervosos, por exemplo, enfatizamos a inspiração, tragando o ar ansiosamente. Tropeçamos nas palavras e deixamos de nos comunicar adequadamente, porque não conseguimos desacelerar o suficiente…

  • Blindness

    Daniel Goleman “O alcance do que pensamos e fazemos é limitado pelo que deixamos de notar. E porque deixamos de notar que deixamos de notar, há pouco que possamos fazer para mudar, até que percebamos o quanto deixar de notar dá forma aos nossos pensamentos e às nossas ações.”

  • A meditação está associada a níveis mais baixos do “hormônio do estresse”

    Shamatha Project Centrar-se no presente, ao invés de deixar a mente vagar, pode ajudar baixar os níveis de cortisol, o chamado hormônio do estresse, como sugere novos resultados do Projeto Shamatha da Universidade da Califórnia, Davis. A capacidade de concentrar os recursos mentais na experiência imediata é um aspecto da atenção plena (mindfulness), que pode ser melhorada por meio do treinamento de meditação. “Este é o primeiro estudo que demonstrou uma relação direta entre o cortisol no repouso e escores de qualquer tipo de escala de atenção plena”, disse Tonya Jacobs, pesquisadora pós-doutorada na Universidade da Califórnia, UC Davis Center for Mind and Brain, e autora principal de um artigo descrevendo o trabalho, publicado…

  • Fixação

    Alan Wallace – “Genuine Happiness” “Fixação é um termo bastante importante. Por um lado, temos o modo como a realidade é apresentada aos nossos sentidos. Algumas coisas que a realidade nos entrega são dolorosas e perturbadoras. Outras são prazerosas ou neutras. Mas a maioria de nós não está simplesmente fluindo com as aparências que surgem. Em vez disso, estamos ativamente interpretando-as. Algumas coisas nos irritam. Quando queremos ficar em silêncio, a realidade se torna barulhenta. Esta interpretação e preferência é chamada de fixação. Quando isso acontece, um som não é apenas um som. Se a sua meditação é perturbada por um som, não é o som que está causando a perturbação,…

  • Vale a pena contemplar

    Clifton B. Parker Cientistas e estudiosos examinam o poder da meditação Respire profundamente no abdomen, expire lentamente e contemple estas descobertas científicas: pessoas que praticam meditação rotineiramente pode ser mais capazes de lidar com os altos e baixos da condição humana. Essa é a conclusão de pesquisadores da UC Davis, que estão liderando uma das mais profundas e cuidadosamente acompanhadas pesquisas do mundo sobre o assunto. Quem está acompanhando? O Dalai Lama, entre outros. Existe uma abundância de testemunhos anedóticos sobre os benefícios da meditação desde a antiguidade, mas o Projeto Shamatha visa investigar seus benefícios concretos. O projeto de 10 anos está dando seus primeiros resultados, e os pesquisadores estão prestes…

  • Quando os psicoterapeutas praticam meditação, seus pacientes se beneficiam

    Ludwig Grepmair e colaboradores Um estudo randomizado, duplo-cego e controlado realizado demonstrou a prática de atenção plena realizada pelos psicoterapeutas influencia positivamente os resultados do tratamento de seus pacientes.  Veja aqui o resumo do estudo publicado na Psychotherapy and Psychosomatics 2007;76:332–338 Antecedentes: Todos os terapeutas dirigem sua atenção de alguma maneira durante a psicoterapia. Recomenda-se uma forma especial de dirigir a atenção – a “atenção plena”. Este estudo teve como objetivo analisar se, e em que medida, a prática de atenção plena realizada por psicoterapeutas em formação (PemF) influencia os resultados do tratamento de seus pacientes. Métodos: Foram comparados o curso de terapêutica e os resultados do tratamento de 124 pacientes, que foram tratados por…

  • Relaxando a tensão excessiva

    Arnaud Maitland “Muitos sistemas de cura apontam que a maioria dos problemas psicológicos e doenças – incluindo o estresse – estão relacionados com desequilíbrios energéticos sutis no corpo, na mente e nos sentidos. Estes são causadas por bloqueios em nosso sistema de energia, e prejudicam a fluidez do corpo e da mente. Se o fluxo dessa tensão é impedido, um bloqueio de energia se instala no corpo e na mente. Esses bloqueios são experimentados como tristeza e estresse. Buscar maneiras de aliviar a tensão significa, na verdade, liberar os bloqueios e relaxar. Acreditar que a ausência de tensão é um objetivo importante na vida nos torna propensos ao sofrimento, pois nos…

  • Meditação e Emoções Difíceis

    Sharon Salzberg Já ouvi muitas explicações sensacionais sobre meditação de atenção plena. A escritora e professora Sylvia Boorstein chama de “atenção desperta àquilo que está acontecendo dentro e fora de nós que nos permite dar respostas a partir de um lugar de sabedoria”. O mestre Zen vietnamita Thich Nhat Hanh diz, “eu gosto de definir a atenção plena como sendo uma energia que nos ajuda a estarmos 100% presentes. É a energia da nossa verdadeira presença”. Mas a minha definição vem de um aluno de quinta série de uma escola na Califórnia. Em 2007, a escola iniciou um programa piloto que oferecia às crianças cinco semanas de treinamento em atenção…

  • Atenção Plena vs Smartphones

    Michael Melcher Se diz que a habilidade fundamental do adulto é adiar a gratificação. Crianças que dominam esta habilidade geralmente tornam-se adultos bem sucedidos. Seria bem difícil discernir essa verdade de qualquer anúncio de qualquer produto comercial, uma vez que quase tudo o que é comercializado promete gratificação imediata. “Há um aplicativo para isso!” ® significa “mais gratificação instantânea para você”. Gratificação instantânea é realmente gratificante, mas só por um instante, como comer uma batata frita. Não dura e traz conseqüências. No caso de smartphones – escrever mensagens de texto, verificar e-mails e navegar na Internet – há alguns custos associados com a “conveniência” e prazer ocasional de fazer o que quiser…

  • A meditação parece produzir mudanças duradouras no processamento emocional pelo cérebro

    Estudo por imagem revela que diferentes formas de meditação podem ter efeitos variados sobre a estrutura cerebral  Um novo estudo demonstrou que a participação em um programa de meditação de 8 semanas pode ter efeitos mensuráveis do funcionamento do cérebro, mesmo quando não se está ativamente meditando. Na edição de novembro de Frontiers in Human Neuroscience, pesquisadores do Massachusetts General Hospital (MGH), Boston University (BU), e diversos outros centros de pesquisa também constataram diferenças desses efeitos com base no tipo específico de meditação praticada. “Os dois tipos diferentes de treinamento de meditação que os participantes do nosso estudo concluíram resultou em algumas diferenças na resposta da amígdala – uma parte…

  • Cultivando o equilíbrio mental e emocional

    Como os nossos desejos e impulsos afetam o nosso bem-estar mental? Como a nossa desatenção afeta as nossas mentes? Qual é o impacto dos pensamentos negativos? Como podemos remediar os desequilíbrios emocionais? Como podemos cultivar o equilíbrio mental e emocional em nossas vidas? Neste vídeo, o Prof Alan Wallace nos oferece elementos para cultivarmos a felicidade genuína – aquela que vem do que trazemos ao mundo e não do que obtemos dele. Parte do pressuposto de que a estabilidade da nossa atenção é a chave. Uma pessoa que pode controlar sua atenção pode ter controle sobre o tipo de realidade que tem a sensação de estar experimentando ou vivenciando. Afinal,…